Jornal de São Mateus do Sul (PR) e região

São-mateuense se consagra Campeão Paranaense de Muay Thai 2018

Da esquerda para a direita: o treinador Alersom Myszak e o lutador Luis Edenilson Kreutsfelt. (Foto: Cláudia Burdzinski/Gazeta Informativa)

O ringue ficou pequeno para o são-mateuense Luis Edenilson Kreutsfelt Pinto, de 21 anos, que recebeu o cinturão de Campeão Paranaense de Muay Thai 2018, na Copa Paranaense de Muay Thai. A disputa pelo cinturão aconteceu no sábado (29/09), no Ginásio Max Rosenmann, em São José dos Pinhais.

O evento foi organizado pela Confederação de Muay Thai do Brasil (CMTB), e reuniu atletas de diversas cidades paranaenses. O são-mateuense participava da categoria peso leve (70 kg), e venceu três lutadores, sendo o primeiro por nocaute. Um dos diferenciais da competição é que as disputadas são feitas por eliminatórias no estilo GP, e os melhores de cada categoria disputaram o cinturão que nomeava o campeão de 2018 da modalidade.

Edenilson foi Campeão Paranaense de Muay Thai 2018, e agora busca se dedicar a competições à nível nacional. (Foto: Acervo Pessoal)

“Fico muito feliz pelo resultado, pois me dediquei para conseguir esse título”, afirma Edenilson. O jovem começou os treinos em 2014, com o objetivo de aprender técnicas de defesa pessoal. No mesmo ano participou de sua primeira competição. Os treinos são regrados e acontecem de domingo à domingo quando as lutas estão próximas. “Desde que eu era criança já me envolvia com esportes, isso ajudou bastante”, conta. O apoio da família também foi fundamental para o desenvolvimento do lutador.

Edenilson faz parte da equipe Team Myszak, onde os irmãos Alersom Myszak e Calersom Myszak são os responsáveis pelo treinamento dos lutadores que frequentam as aulas. “Desde o início percebi um diferencial no Edenilson, pois ele sempre foi um rapaz comprometido, persistente e desempenhado com os treinos”, afirma Alersom. O treinador destaca que o lutador é um exemplo para todos da equipe, e por esse motivo, frequenta as aulas como bolsista. “Esse luta final fechou 10 lutas na carreira dele, e é muito visível a evolução com o passar do tempo. Desde a primeira luta até agora, ele deu um salto muito grande”, afirma o treinador.

Alersom também destaca que a competição valoriza o Muay Thai em sua integridade, com todos os golpes válidos para a arte marcial. “Existe algumas competições que não seguem essas regras”, explica Alersom.

A equipe comenta que as ajudas e patrocínios normalmente acontecem de pessoas que já possuem algum conhecimento da arte marcial, e que ainda há uma certa resistência por parte de algumas pessoas. O lutador destaca que com mais divulgação do Muay Thai, essa realidade pode vir a mudar.

“O esporte mudou a minha vida. Tenho mais disciplina e respeito ainda mais as pessoas, esse é um dos principais incentivos para iniciar a praticar algum tipo de arte marcial”, afirma Edenilson. Em relação ao futuro, pretende se dedicar ainda mais ao esporte e participar de competições à nível nacional.

Cláudia Burdzinski

Cláudia Burdzinski

Estudante de Jornalismo que adora escrever e conhecer um pouco sobre a vida e a história de cada pessoa envolvida. Preza pela essência que é repassada na produção de cada matéria, valoriza os pequenos gestos e apoia o ativismo ambiental. E-mail para contato: claudia@gazetainformativa.com.br
Cláudia Burdzinski
Compartilhe esta reportagem...Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Print this page


Comentários: