O Grupo Escoteiro Paul Harris de São Mateus do Sul após desfile cívico de 2019. (Foto: Acervo Pessoal)

A organização explica que o objetivo principal do encontro regional de Escoteiros dos Campos Gerais visa, “além da confraternização e congraçamento entre os Grupos Escoteiros”, a “formação dos Monitores e Submonitores dos ramos Escoteiro e Sênior (10 a 18 anos)”. Focando a capacitação para que eles possam “liderar suas patrulhas da melhor maneira possível”. As atividades serão nesse fim de semana, no Clube de Empregados da Petrobras (CEPE).

Tudo seguindo os “princípios escoteiros e de acordo com o propósito e com o Método do Movimento Escoteiro”, reforça a coordenadora geral do evento, Rachel Azambuja Langaro. Sendo a atividade destinada aos membros da União dos Escoteiros do Brasil, vinculada a uma Unidade Escoteira Local e com o Registro Institucional regular para o ano de 2020.

Existem na região, da qual o Grupo Escoteiro Paul Harris de São Mateus do Sul faz parte, 13 grupos que pertencem à regional dos Campos Gerais. Em 2019, o encontrou foi em Ponta Grossa. Na hierarquia organizacional, dentro da região do Paraná e ligada à União dos Escoteiros do Brasil e reúne participantes vinculados a um dos pertencentes aos ramos, escoteiro e sênior.

Ao todo estão inscritos 92 jovens e cerca de 30 chefes, entre monitores e submonitores de patrulhas. Rachel Azambuja Langaro explica que o movimento não carrega bandeira ou conotação política, mas valoriza a participação juvenil em esferas políticas. “Participando de processos de decisão em conselhos, conferências e demais grupos de trabalho”, explica a coordenadora.

“O apoio político não leva em conta partidos, mas o compromisso do parlamentar que se une à União Parlamentar Escoteira do Brasil de atuar de acordo com os princípios e propostas do Escotismo”, acrescenta. Para participar, a idade inicial é de seis anos e seis meses e pode ficar no grupo até os 21. Caso queira seguir como escoteiro, pode. No caso como adulto voluntário e sem limite de idade, a partir de então.

Em síntese é movimento para jovens, feito por eles mesmos. “Essa é principal engrenagem do Movimento Escoteiro: a vitalidade das crianças, adolescentes e jovens que passam por nossos caminhos e renovam nossas energias, aliada à experiência dos adultos voluntários”, relata Rachel. Tem um alicerce educacional, com promoção de atividades que visam o desenvolvimento pessoal e liderança.

“Incentiva os jovens a assumirem seu próprio desenvolvimento, a se envolverem com a comunidade, formando verdadeiros líderes. Acreditamos que, por meio da proatividade e da preocupação com o próximo e com o meio ambiente, podemos formar jovens engajados em construir um mundo melhor, mais justo e mais fraterno”, destaca a coordenadora, com referência ao sentido de ser escoteiro.

Dentro do movimento, os participantes são divididos por faixas de idade. Para trabalhar melhor o desenvolvimento físico, intelectual, social, afetivo, espiritual e de caráter. Tudo com base em características individuais elencadas às fases da vida. No sentido educacional, a preocupação é de acompanhar o cotidiano dos jovens, sem desrespeitar a autonomia e se adaptando a cada realidade.

Serviço

Grupo Escoteiro Paul Harris

Contato: Michela Nadolny (42) 98828-5522.
Seções: lobinho (7 a 10 anos), escoteiro (10 a 14 anos), sênior (14 a 18 anos) e pioneiro (18 a 21 anos).
Reuniões: Acontecem normalmente aos sábados das 14h30 às 16h30, e ocasionalmente em outros horários.

Sidnei Muran

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
São Mateus do Sul discute e aponta para o estado ações e medidas rumo ao futuro
Imposto de Renda: prazo encerra em poucos dias e contador orienta a declaração
Prefeitura gasta quantia semelhante em saúde pública no comparativo entre os primeiros meses de 2019 e 2020