Quadro de Częstochowa com três dimensões, só tem 24 desses no mundo. (Fotos: Acervo/José Carlos Janowski)

São Mateus do Sul na mídia do Papa Francisco. José Carlos Janowski em 26 de agosto comemorou 72 anos de idade com o quadro de Nossa Senhora de Częstochowa. Nossa Senhora do Monte Claro, na tradução para o português. Isso não chega a ser novidade para o neto de poloneses sempre ligado à cultura, identidade e religiosidade polonesa preservada no Brasil por quase um século e meio.

O fato novo é a repercussão de sua história. José Carlos nasceu no dia dedicado à Santa e, de presente, estampou uma reportagem no meio de comunicação central da Igreja Católica Romana. O Vatican News é um sistema de informação da Santa Sé, iniciado em 27 de junho de 2015 com o Motu Proprio do Papa Francisco, que instituiu a Secretaria para a Comunicação, o novo Dicastério da Cúria Romana.

Janowski preserva os laços da história familiar. Seus avós, Walentim e Maria, vieram da cidade polonesa de Kalicz e o quadro de Nossa Senhora de Częstochowa segue venerado pela família e por grande parte da comunidade de descendentes de poloneses, em São Mateus do Sul. A localidade da Água Branca centraliza as comemorações, todo ano, suspensa em 2020 por conta da pandemia da Covid-19.

José Carlos é presidente da Fundação Cultural e conduz novenas em polonês, junto da apresentação de um programa de rádio aos domingos pela Rádio Cultura Sul FM – denominado Tradycje Polskie (Tradições Polonesas). Para a Vatican News ele citou que desde 1993, participa de peregrinações com carreatas que reúnem cerca de 15 mil pessoas, mas que este ano não foi realizada.

“A gente visita quatro paróquias: em cada paróquia tem uma média de 20 capelas. O pessoal constrói tapetes, faz faixas, tem cavalgada, motoqueiros, carroças tipicamente enfeitadas para essa grande procissão que é feita aqui em São Mateus do Sul”, repercutiu o descendente para a comunicação da Santa Fé, recordando a preservação cultural elencada aos poloneses.

“Assim, pensando para que essa fé se espalhe mais, assim fizemos essas peregrinações para que o povo sinta de perto a força de Nossa Senhora de Częstochowa, que salvou a Polônia de tantas guerras e tantas invasões. E, se você for lá na Polônia, no Santuário de Częstochowa, vai ver que o santuário é o céu na terra”, destacou José Carlos sobre o ato de fé relacionado à comunidade.

A procissão, com missa rezada em língua polonesa, tem como centro religioso a Igreja Centenária da Água Branca. O templo católico mantém um quadro de Nossa Senhora do Monte Claro e é tombado pelo Patrimônio Histórico Estadual desde 1992. Um quadro de Nossa Senhora de Częstochowa chegou ao Brasil, conforme José Carlos, em meados de agosto de 1891 com seus avós.

Surpresa e emoção

Estar na mídia do Vaticano, a partir do conhecimento e relação da jornalista do Vatican News com o Grupo Folclórico Karolinka, deixou José Carlos, segundo o próprio, emocionado. Um dos pontos centrais foi a oportunidade de mostrar o quadro de Nossa Senhora de Częstochowa que tem uma história familiar e dos poloneses. Pelo fato de trazer junto de si a memória dos imigrantes.

Se entender com índios e caboclos, numa região de mata fechada, foi o cenário de vida de Walentim e Maria. O quadro veio no baú, atravessando o Oceano Atlântico, e faz a ligação com o Santuário de Częstochowa na Polônia. “Mostrar a fé, a religião e a devoção. Estamos aqui valorizando até hoje tudo isso”, disse se referindo a permanência destes valores entres os poloneses em São Mateus do Sul.

Sobre a reportagem ser feita no dia do aniversário, que coincide com a data consagrada à Santa, José Carlos destaca que “foi um presente Divino”. Oportunidade de representar esta riqueza cultural e da religião, o que para ele tem grande valor. Não trazendo o feito para si, mas destacando que a repercussão e divulgação do Vatican News valoriza, de forma inédita, esta rica e bela história polonesa.

A mesma reportagem retrata também a devoção de uma comunidade inteira do interior do Rio Grande do Sul. O município de Áurea é considerado capital polonesa dos brasileiros. Na sua Paróquia, Nossa Senhora do Monte Claro, todo ano celebra o dia da padroeira. Tudo com a comunidade, por meio de pequenos altares com a imagem da Virgem Negra, flores e as cores da Polônia, nas portas e janelas das casas.

Sidnei Muran

Sidnei Muran

Jornalista (MTB 7597 DRT/PR), formado pelo Centro Universitário de União da Vitória (Uniuv), pós-graduado em História e Cultura pela Unespar – campus de União da Vitória e Licenciado em História pela Unespar – campus de União da Vitória.
Sidnei Muran

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Voltando para São Mateus do Sul depois de 67 anos
A partir de 2019, São Mateus do Sul terá a Semana Municipal do Idoso
Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa é celebrada em São Mateus do Sul