Gestantes entram em contato com a equipe da Gazeta Informativa para manifestarem a falta de atendimento. (Imagem Ilustrativa)

Em mês de prevenção ao câncer de mama, algumas moradoras de São Mateus do Sul procuraram a equipe da Gazeta Informativa para relatar a falta de atendimento ginecológico e obstétrico no Sistema Único de Saúde (SUS). “Do que adianta falarmos dos cuidados das mulheres sendo que diariamente a realidade das Unidades de Saúde não é dessa forma?”, indaga uma moradora que prefere não se identificar.

“Várias vezes cheguei, fiz o preparo e fui dispensada após as 10h porque não teria obstetra no dia ou médico para atendimento. Estou há mais de 4 meses sem atendimento”, testemunha uma gestante. Segundo ela, as grávidas recebem orientações das próprias enfermeiras. “Não estou desmerecendo o trabalho das enfermeiras e técnicas, mas queremos orientação médica para seguir a nossa gestação com tranquilidade.”

Outra gestante comenta que precisou realizar um exame específico em União da Vitória por conta da sua gravidez de risco. “Quando voltei para São Mateus não consegui entregar por falta de médico obstétrico. É um descaso muito grande com todas nós.”

A equipe da Gazeta Informativa entrou em contato com a Secretaria Municipal de Saúde para esclarecimento sobre o escasso atendimento especializado. Em nota eles informam que o município possui em seu quadro de servidores uma médica obstetra, que estava realizando todos os atendimentos correspondentes a esta área de atuação. “No início do mês de setembro a profissional apresentou um atestado médico que lhe afastava do trabalho pelo período de 30 dias. O atestado se encerraria no início do mês de outubro, quando então, seria normalizado o atendimento. Contudo, a médica apresentou novo atestado médico, de mais 30 dias de afastamento do trabalho”, destaca.

A Secretaria também informa que já iniciou os procedimentos necessários para contratar, pontualmente um profissional médico que possa suprir esta demanda. “De qualquer maneira, foi orientado a enfermeira Claudineia Silva, do respectivo setor de atendimento, para que as gestantes de risco habitual sejam triadas e atendidas pelos médicos das estratégias de saúde da família.”

Situações de risco, urgência ou emergência devem procurar diretamente o Hospital e Maternidade Doutor Paulo Fortes, que possui contrato com o Município de São Mateus do Sul para disponibilizar médico obstetra, diariamente, durante 24 horas.

A Gazeta Informativa entrou em contato com a médica obstetra do quadro da Secretaria de Saúde e ela prefere não se manifestar sobre o assunto.

Cláudia Burdzinski

Cláudia Burdzinski

Estudante de Jornalismo que adora escrever e conhecer um pouco sobre a vida e a história de cada pessoa envolvida. Preza pela essência que é repassada na produção de cada matéria, valoriza os pequenos gestos e apoia o ativismo ambiental. E-mail para contato: claudia@gazetainformativa.com.br
Cláudia Burdzinski

Últimos posts por Cláudia Burdzinski (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Vacinação contra febre amarela será realizada neste sábado (16)
Focos de larvas do mosquito da dengue são encontrados nas proximidades das vilas Prohmann e Pinheirinho em São Mateus do Sul
São Mateus do Sul no combate ao HIV

Deixe seu comentário

*