As salas de aula silenciosas e vazias refletem os cuidados que o Governo do Estado vem tomando para proteger a população.
(Foto: Éber Deina/Gazeta Informativa)

A preocupação com epidemias globais é uma questão cada vez mais recorrente no cotidiano. Nos últimos anos, a incidência desses eventos aumentou, o que foi intensificado pela crescente dispersão de pessoas em viagens internacionais. Dados levantados pelo mais recente estudo da agência de consultoria em turismo IPK International apontam que o total de viagens internacionais aumentou 6% em 2018.

Os surtos de gripe aviária no fim dos anos 1990, a gripe suína que atingiu 200 países em 2009 e a epidemia de ebola na África entre 2014 e 2016, são as ocorrências mais recentes nas quais o mundo entrou em estado de alerta. O coronavírus (Covid-19) e sua rápida propagação por diferentes continentes agora é o tema central nas organizações e instituições de saúde mundial.

O que é o coronavírus?

O coronavírus é o nome popular do Sars-CoV2, pertencente a uma família de vírus que pode infectar animais e seres humanos. É o responsável por causar a doença infecciosa Covid-19 (do inglês Coronavirus disease). Ele recebeu esse nome em decorrência dos picos de suas membranas que lembram uma coroa e pode causar doenças respiratórias que variam desde um resfriado comum até a Sars (síndrome respiratória aguda grave).

A transmissão do vírus ocorre pelo ar ou por contato pessoal com secreções corporais, como as gotículas de saliva, a tosse, o espirro e até mesmo o contato com superfícies contaminadas. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), o coronavírus se originou primeiramente em animais. O epicentro da doença foi a cidade chinesa de Wuhan e as autoridades locais afirmam que o surgimento provavelmente ocorreu em um mercado de peixes e animais vivos.

Sintomas e cuidados

Em depoimento ao programa GI Entrevista, transmitido ao vivo, pela página do jornal no Facebook, na noite de quarta-feira (18), o médico Dr. João Carlos Piccinin esclareceu alguns aspectos clínicos sobre o Covid-19. “O coronavírus tem sintomas muito semelhantes aos de um resfriado comum, porém com maior comunicação pulmonar. Os principais sintomas são a dor no corpo, febre alta (acima de 38ºC), dor de garganta e tosse. Caso esses sintomas persistam por mais de dois dias, o indivíduo deve procurar uma unidade de atendimento de saúde”, afirma ele. Apesar disso, a orientação é para que as pessoas avaliem previamente a necessidade de deslocamento até essas unidades, para evitar aglomerações em casos nos quais os sintomas não são de intensidade suficientemente forte para debilitar o indivíduo. Piccinin ainda ressaltou que a maior parte dos óbitos acontece em pacientes do chamado grupo de risco (idosos, portadores de doenças respiratórias, fumantes, diabéticos, hipertensos e pacientes com HIV).

(Fotos: Acervo Gazeta Informativa)

A médica Dra. Janaína Ribeiro Machado salientou, durante o programa, os cuidados que a população deve tomar para evitar que o vírus se espalhe mais. “A transmissão do coronavírus se dá pelo ar. É importante tomar cuidado com a proximidade ao falar e tossir, pois as gotículas de saliva podem ficar em suspensão numa área de 1 a 2 metros”, explica ela. A Dra. Janaína ainda atentou para o fato da higiene pessoal. “A lavagem das mãos quando possível é a maneira mais eficaz de se manter higienizado. Ela deve ser feita com capricho, alcançando todos os dedos e a região próxima às unhas. Uma lavagem eficaz leva no mínimo uns 20 segundos”, conclui ela.

Covid-19 no Brasil

Segundo as últimas informações divulgadas pelas secretarias estaduais de Saúde, até às 19h30, desta quinta-feira (19), são 635 casos confirmados do novo coronavírus no Brasil, em 20 estados e no Distrito Federal. O último balanço do Ministério da Saúde contabiliza 621 infectados, 11.278 casos suspeitos e 1.841 casos descartados. O recordista em casos confirmados é o estado de São Paulo, com 286 registros.

A Secretaria de Estado da Saúde do Paraná (Sesa), divulgou em seu último boletim que o número de casos confirmados subiu de 12 para 14. Segundo a Sesa, todos esses casos são importados e ainda não há registro de transmissão comunitária no estado. No boletim também consta a informação de que o número de suspeitos caiu de 240 para 67 casos.

Medidas administrativas

O Governo Federal anunciou a adoção de algumas medidas para o combate do coronavírus. Dentre elas, destaca-se a declaração de estado de calamidade pública (requer aprovação da Câmara dos Deputados), reforços no programa Bolsa Família, a desoneração de produtos médicos, o investimento de R$ 24 bilhões para linha de crédito pessoal (autônomos) e de R$ 48 bilhões para empresas, além do fechamento de fronteiras internacionais.

No Paraná, o governador Carlos Massa Ratinho Junior assinou na quarta-feira (18), quatro novos decretos relacionados ao enfrentamento do Covid-19. Os documentos incluem a formação de um Comitê de Gestão de Crise, a suspensão dos deslocamentos e viagens a trabalho dos servidores estaduais, o estabelecimento de critérios para a habilitação dos laboratórios que realizarão os testes da doença e a determinação para que o Procon-PR fiscalize práticas de abuso quanto aos preços de produtos sanitários e profilaxia (medidas preventivas de saúde).

Covid-19 em São Mateus do Sul

Durante entrevista ao jornal Gazeta Informativa, o Secretário da Saúde do município, Wagner Wolff explanou as principais medidas que a Prefeitura de São Mateus do Sul está tomando para combater a propagação do coronavírus. “Essas ações ocorrem em diferentes escalas e partem das recomendações federais e estaduais de contingenciamento. O município estabeleceu as medidas de combate em âmbito municipal através do Decreto Nº 880/2020”, colocou ele. O conteúdo do decreto engloba ações como a suspensão de eventos abertos ao público (com aglomeração superior a 50 pessoas), a limitação das atividades dos órgãos municipais mediante autorização do prefeito e o protocolo de atendimento dos pacientes (é necessário ligar nas unidades de saúde antes de se dirigir até elas), entre outras medidas.

Sobre a suspeita de casos no município, Wagner afirmou que existe um caso sob monitoramento e o paciente encontra-se em isolamento. As amostras coletadas já foram enviadas ao Laboratório Central do Estado do Paraná (Lacen) e até o fechamento desta edição ainda não houve conclusão devido ao elevado número de análises que estão sendo realizadas pelo laboratório.

Como segue a vida na cidade?

Alguns setores da sociedade já estão paralisados ou com horário restrito de funcionamento. Telma Staniszewski, diretora do Colégio Estadual São Mateus, que conta com 1.573 alunos, comentou sobre o decreto da Secretaria Estadual da Educação (SEED) que suspende as aulas na rede estadual de ensino a partir do dia 20. “A recomendação é muito importante nesse momento delicado, nenhum aluno enfrentará prejuízos pedagógicos em decorrência da situação. O único serviço que provavelmente deve continuar é a distribuição do leite às famílias, que também ocorre na escola”, declarou ela.

As empresas locais estão adotando protocolos mais cuidadosos de atendimento, como é o caso da Sanepar e da Copel. Existem serviços que podem ser realizados ou encaminhados via telefone. A Câmara de Dirigentes Logistas (CDL) de São Mateus do Sul divulgou um comunicado declarando que está adotando as ações propostas pelas diferentes esferas governamentais para conter o vírus. Até o dia 19, a orientação foi para que o comércio continue aberto, resguardadas as medidas de segurança. A Diocese de União da Vitória também orientou a adoção de medidas preventivas para igrejas. Nos próximos dias novos protocolos devem ser adotados pelos diferentes setores da sociedade.

(Arte/G1)

CHARGE

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Edital de licitação para a construção da nova sede do Hospital está aberto
Wagner Wolff assume a Secretaria Municipal de Saúde
Bingo beneficente arrecadará recursos para cirurgia de jovem que luta para não perder a visão