Virasoro é uma das grandes produtoras de erva-mate do país vizinho. A visita do grupo argentino aconteceu em São Mateus do Sul. A equipe assinou o acordo no dia 21 de agosto. (Fotos: Cláudia Burdzinski/Gazeta Informativa)

O início da tarde do dia 21 de agosto, foi de comemoração no gabinete da Prefeitura Municipal de São Mateus do Sul. A equipe recebeu os visitantes da cidade de Virasoro, na Argentina, para assinarem o acordo de irmandade das cidades sul-americanas que possuem a erva-mate como uma das representatividades econômicas.

Durante a recepção, o Prefeito Municipal, Luiz Adyr Gonçalves Pereira, recebeu o Intendente de Virasoro, Emiliano Fernández Recalde, para juntos firmarem a parceria e assinarem o acordo que busca formalizar intercâmbios socioculturais, técnico-científico na produção de erva-mate. “É uma satisfação receber um grupo que também preza pelo desenvolvimento da produção da erva-mate”, destaca Luiz Adyr.

Durante o dia a equipe argentina esteve visitando alguns dos ervais com Indicação Geográfica (IG) do município, conhecendo a produção e a suavidade do sabor da erva-mate são-mateuense. “É muito bom entender a forma de produção no solo brasileiro. Em nossa região a erva-mate sombreada não possui o mesmo sabor que a produzida aqui em São Mateus do Sul”, enfoca Emiliano.

Uma das diferenças elencadas pelo intendente durante a visita foram as pequenas propriedades de erva-mate em São Mateus do Sul, sendo que em Virasoro a produção é feita por grandes empresários. “Estamos felizes com essa parceria.”

O encontro entre as cidades aconteceu com o apoio da equipe da DataMatte, que em junho deste ano esteve realizando a I Missão Técnica Yerba Mate, na Argentina, conhecendo a forma de produção no país. “Durante a Missão nós visitamos as áreas de cultivos, as indústrias e formas de processamento feitos em solo argentino. Aqui eles puderam entender a nossa forma de cultivo, trocando experiências com a gente”, explica Helinton Lugarini, do DataMatte.

Dentre os acordos assinados estão o fortalecimento de laços de solidariedade entre os povos; cooperação mútua entre as cidades-irmãs para fomentar o maior conhecimento sobre a produção de erva-mate; e a difusão de ambas as comunidades para as obras culturais, artísticas, políticas, econômicas e científicas.

Cláudia Burdzinski

Cláudia Burdzinski

Estudante de Jornalismo que adora escrever e conhecer um pouco sobre a vida e a história de cada pessoa envolvida. Preza pela essência que é repassada na produção de cada matéria, valoriza os pequenos gestos e apoia o ativismo ambiental. E-mail para contato: claudia@gazetainformativa.com.br
Cláudia Burdzinski

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
São Mateus do Sul terá capacitação para combate às drogas
Prefeitura Municipal de São Mateus do Sul pode continuar licitação para gerenciamento da frota
Casa de Repouso Anjos da Guarda realiza festa de inauguração
2 Comentários
  • Edelar Prohmann
    3 de setembro de 2019 at 10:43

    Parabéns Claudia pela reportagem sobre nossa riqueza verde.
    Meu pai Arnoldo Prohmann foi pioneiro com outros ervateiros na criação da Cooperativa do Mate. Foi presidente da entidade pó r cinco anos e fundou 14 cooperativas em Santa Catarina.
    Podemos ir atrás do registro histórico desses fatos.
    Grata e parabéns por sua eficiência jornalistica.

    • Redação
      3 de setembro de 2019 at 17:55

      Boa tarde Adelar! Ficamos felizes pelo seu comentário! Agradecemos a sua companhia lendo nossas reportagens! Apareça sempre por aqui! Beijos!

Deixe seu comentário

*