Virasoro é uma das grandes produtoras de erva-mate do país vizinho. A visita do grupo argentino aconteceu em São Mateus do Sul. A equipe assinou o acordo no dia 21 de agosto. (Fotos: Cláudia Burdzinski/Gazeta Informativa)

O início da tarde do dia 21 de agosto, foi de comemoração no gabinete da Prefeitura Municipal de São Mateus do Sul. A equipe recebeu os visitantes da cidade de Virasoro, na Argentina, para assinarem o acordo de irmandade das cidades sul-americanas que possuem a erva-mate como uma das representatividades econômicas.

Durante a recepção, o Prefeito Municipal, Luiz Adyr Gonçalves Pereira, recebeu o Intendente de Virasoro, Emiliano Fernández Recalde, para juntos firmarem a parceria e assinarem o acordo que busca formalizar intercâmbios socioculturais, técnico-científico na produção de erva-mate. “É uma satisfação receber um grupo que também preza pelo desenvolvimento da produção da erva-mate”, destaca Luiz Adyr.

Durante o dia a equipe argentina esteve visitando alguns dos ervais com Indicação Geográfica (IG) do município, conhecendo a produção e a suavidade do sabor da erva-mate são-mateuense. “É muito bom entender a forma de produção no solo brasileiro. Em nossa região a erva-mate sombreada não possui o mesmo sabor que a produzida aqui em São Mateus do Sul”, enfoca Emiliano.

Uma das diferenças elencadas pelo intendente durante a visita foram as pequenas propriedades de erva-mate em São Mateus do Sul, sendo que em Virasoro a produção é feita por grandes empresários. “Estamos felizes com essa parceria.”

O encontro entre as cidades aconteceu com o apoio da equipe da DataMatte, que em junho deste ano esteve realizando a I Missão Técnica Yerba Mate, na Argentina, conhecendo a forma de produção no país. “Durante a Missão nós visitamos as áreas de cultivos, as indústrias e formas de processamento feitos em solo argentino. Aqui eles puderam entender a nossa forma de cultivo, trocando experiências com a gente”, explica Helinton Lugarini, do DataMatte.

Dentre os acordos assinados estão o fortalecimento de laços de solidariedade entre os povos; cooperação mútua entre as cidades-irmãs para fomentar o maior conhecimento sobre a produção de erva-mate; e a difusão de ambas as comunidades para as obras culturais, artísticas, políticas, econômicas e científicas.

Estudante de Jornalismo que adora escrever e conhecer um pouco sobre a vida e a história de cada pessoa envolvida. Preza pela essência que é repassada na produção de cada matéria, valoriza os pequenos gestos e apoia o ativismo ambiental. E-mail para contato: claudia@gazetainformativa.com.br

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Feira Gastronômica completa 1 ano e torna-se referência semanal à comunidade são-mateuense
Espetáculo de cantos gregorianos foi destaque nas sacadas do Hotel Dom Leopoldo
Que 2018 seja tão bom quanto 2017!
2 Comentários
  • Edelar Prohmann
    3 de setembro de 2019 at 10:43

    Parabéns Claudia pela reportagem sobre nossa riqueza verde.
    Meu pai Arnoldo Prohmann foi pioneiro com outros ervateiros na criação da Cooperativa do Mate. Foi presidente da entidade pó r cinco anos e fundou 14 cooperativas em Santa Catarina.
    Podemos ir atrás do registro histórico desses fatos.
    Grata e parabéns por sua eficiência jornalistica.

    • Redação
      3 de setembro de 2019 at 17:55

      Boa tarde Adelar! Ficamos felizes pelo seu comentário! Agradecemos a sua companhia lendo nossas reportagens! Apareça sempre por aqui! Beijos!

Deixe seu comentário

*