Cidade

Saques de contas inativas de FGTS iniciam no dia 10 de março

Infográfico: Eduardo Covalesky/Gazeta Informativa

Infográfico: Eduardo Covalesky/Gazeta Informativa

Na terça-feira (14/02), o governo federal anunciou o calendário oficial de saque de contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), que poderão ser realizados a partir de 10 de março (veja infográfico). A notícia traz, para a economia, a expectativa de driblar a crise; para o cidadão, é a possibilidade de utilizar o dinheiro para sanar dívidas, investir ou comprar algum produto.

O objetivo principal do governo federal ao liberar o saque destas contas é incentivar o consumo. Com mais dinheiro circulando, espera-se que a economia brasileira volte a registrar crescimento.

A notícia vem em boa hora para o comércio são-mateuense que, assim como o restante do país, sofreu os impactos da crise. “Vimos algumas portas se fecharem e outras reduzirem seu quadro de funcionários, refletindo a queda no consumo”, destaca a presidente da última gestão da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Ingrid Hoch Ulbrich. “Entendemos que esse dinheiro em circulação irá auxiliar o aquecimento da economia local, uma vez que os consumidores poderão utilizar o dinheiro como quiserem, quitando uma dívida, utilizando nas despesas do dia-a-dia ou na aquisição de bens duráveis”, avalia.

Em um momento em que a confiança do consumidor registra crescimento pelo terceiro mês seguido (de acordo com o indicador da Thomson Reuters/Ipsos, divulgado em 8 de fevereiro), os lojistas seguem a mesma tendência. De acordo com Ingrid, a Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL) atua na Frente Parlamentar Mista em Defesa do Comércio, Serviços e Empreendedorismo (CSE) que defende a modernização das leis trabalhistas, a reforma da previdência e os meios de pagamento. “As expectativas são otimistas, pois entendemos que o governo deve contribuir com boas políticas que facilitem, desburocratizem e reduzam os custos que pesam sobre o meio empresarial, para geração de empregos e riqueza ao país”, conclui.

Planejamento

Até então, havia opções limitadas para saque das contas inativas do FGTS, como a possibilidade de saque após três anos ininterruptos de desemprego, investimento na casa própria ou em caso de doenças graves do trabalhador ou de seus dependentes.

Com a medida provisória do governo federal, trabalhadores que pediram demissão sem fazer acordo até dezembro de 2015 poderão reaver todo o saldo do FGTS com liberdade de aplicação.

É o caso do engenheiro eletricista Luis Fernando Coelho, que verificou seu direito ao saque consultando a conta do FGTS. “A decisão me parece boa, especialmente para quem sabe o que fazer com o dinheiro”, avalia.

Para garantir a melhor aplicação deste dinheiro, o segredo é planejar, como explica o contador Marcio Arruda: “O planejamento financeiro é algo essencial para evitarmos desequilíbrios em nossas contas. Uma simples anotação de despesas já nos ajuda a conhecer nossos gastos e antecipar eventuais necessidades”.

Com o planejamento financeiro em mãos, fica mais fácil visualizar as formas mais vantajosas de utilizar o dinheiro. A dica é que o trabalhador verifique inicialmente se possui contas em atraso ou pendências com instituições financeiras, além de considerar as contas a pagar.

“O mais oportuno é quitar ou renegociar eventuais dívidas, sobretudo as decorrentes de cartão de credito (pagamentos parciais) e cheque especial”, explica Marcio. “Antecipar parcelas de empréstimos, desde que ocorra um desconto, também pode ser vantajoso, pois o rendimento das contas do FGTS é bastante inferior ao praticado nos empréstimos”.

Aplicações financeiras

O FGTS tem rendimento considerado baixo: 3% ao ano + taxa referencial (referência para taxa de juros no Brasil). Por isso, sacar o dinheiro das contas inativas e aplicar em outros investimentos é uma boa opção. A poupança, um dos investimentos mais populares, possui rendimento maior que o FGTS, embora nem sempre seja a opção mais interessante. “Outras formas de aplicação, como o tesouro direto ou os CDBs, podem ser viáveis dependendo do rendimento recebido e do valor a ser pago de imposto de renda. O prazo da aplicação também influencia o rendimento”, destaca Arruda.

Investir o dinheiro das contas inativas deverá ser a opção escolhida por Coelho, que aproveita o momento para conversar com colegas sobre essas possibilidades. “Uma opção é aplicar em fundos de renda fixa, nos quais a remuneração é conhecida. Em alguns bancos é possível fazer investimentos a partir de R$50,00. Existem outras opções com rendimento maior, mas que exigem que o dinheiro fique alguns anos investido sem ser movimentado e/ou possuem risco maior”, considera.

As opções de investimento são variadas e a melhor escolha depende do seu perfil. Por isso, antes de investir você deve entrar em contato com o seu banco ou com um corretor de investimentos e responder questionário (que é obrigatório), a fim de verificar as opções mais adequadas ao perfil investidor.

Informações sobre saldo e saque

Se você tem dúvidas sobre como consultar o extrato e sobre como fazer o saque, pode entrar em contato com a Caixa, pelo site www.caixa.gov.br/contasinativas ou pelo telefone 0800-726-2017. Existem ainda aplicativos que facilitam o acesso aos seus dados, como o FGTS Fácil (disponível para o sistema Android). É necessário ter em mãos o número do PIS/PASEP.

Larissa Drabeski

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
NDE passa a existir legalmente como entidade
Influência arquitetônica polonesa é resgatada em construção de casa na chácara
Primeira oficina temática do Plano Diretor acontece nesta sexta