Saúde

Secretaria Municipal de Saúde esclarece a ausência de alguns medicamentos no início deste ano

A falta destes medicamentos foi causada por alterações contábeis necessárias e já foi solucionada de acordo com os funcionários da farmácia municipal. (Foto: Alexandre Müller/Gazeta Informativa)

A Secretaria Municipal de Saúde de São Mateus do Sul sofreu nos dois primeiros meses do ano a ausência de medicamentos na farmácia pública do município, causando descontentamento por parte da população que procurava pelos préstimos do serviço e dependem do mesmo para a manutenção da saúde.

Em contato com a Secretaria Municipal, a equipe da Gazeta Informativa foi informada de que a questão dos medicamentos pode sofrer vários fatores que atrapalham a chegada dos medicamentos até a farmácia, principalmente problemas com a licitação, “apesar de termos a maioria das licitações dos medicamentos que são fornecidos, sofremos com a ausência da medicação no mercado, e as empresas que ganharam não conseguem fornecer exigindo toda uma burocracia para notificações”, afirma Marcos Alberto Diedrichs Filho, Secretário Municipal de Saúde.

Segundo o secretário, outro fator que aconteceu no início do ano foi a mudança do Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ), para as aquisições dos medicamentos. A Secretaria vinha fazendo a licitação e posterior compra através do Fundo Municipal de Saúde (FMS), este procedimento sofreu alteração no final do ano passado e exigiu que o mesmo fosse realizado com a utilização do CNPJ do município.

O principal problema gerado foi com o sistema de informações do município, o Betha, que teve dificuldades de fazer a alteração do CNPJ dentro do sistema, a fim de migrar os contratos existentes em nome do fundo para o município, causando o atraso no pedido de compras por volta de um mês e, “em um mês de atraso o estoque que era mantido diminuiu e entramos numa situação crítica”, confirma Claudia Staniszewski, farmacêutica bioquímica da farmácia municipal.

De acordo com Avanir Cezar Gulchinski, também farmacêutico bioquímico, na sexta-feira (16 de fevereiro), houve o empenho de R$ 403 mil e ainda R$ 80 mil do consórcio de saúde que serão disponibilizados nos próximos dias, tendo um aporte de R$ 483 mil destinados para a aquisição de medicamentos.

A secretaria informa que em 2016 foram gastos R$ 490 mil no ano inteiro com medicamentos pela Prefeitura Municipal, e em 2017 foram investidos R$ 1,2 milhões para o mesmo fim, e existe esta mesma estimativa para o ano de 2018.

A equipe da farmácia municipal destaca que houve um reajuste nos repasses dos valores a serem destinados a aquisição de medicamentos pelos municípios, e este valor é tido como base a cada habitante, sendo por parte do governo federal o valor de R$ 5,58 e R$ 2,80 do governo do estado, e por lei o município deveria custear com cerca de R$ 2,80 por munícipe e investe quase 20 vezes mais.

A Secretaria de Saúde possui em sua farmácia cerca de 367 medicamentos de forma regular, uma lista padronizada e analisada pela equipe de farmacêuticos, médicos e dentistas que colaboram com a elaboração dessa lista do arsenal de tratamento. “São Mateus do Sul é certamente o município que mais investe em medicamentos na região”, afirma Avair.

“A conversa com a equipe de profissionais de saúde é constante para que eles indiquem os medicamentos que tenhamos em nossa farmácia, em apenas um ou outra situação a prescrição exige uma medicação que não está listada”, afirma o secretário municipal de saúde e complementa, “em casos excepcionais de prescrição de medicamentos que não estejam listados e o paciente não possua condições de aquisição, o mesmo é encaminhado à secretaria de assistência social que através da profissional faz a liberação”.

Os farmacêuticos garantem que seguindo as diretrizes do Sistema Único de Saúde (SUS), teríamos apenas cerca de 166 medicamentos que estão na Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (RENAME), que é obrigação do município. A RENAME é elaborada atendendo aos princípios fundamentais do Sistema Único de Saúde (SUS), isto é, a universalidade, a equidade e a integralidade, configurando-se como a relação dos medicamentos disponibilizados por meio de políticas públicas e indicados para os tratamentos das doenças e agravos que acometem a população brasileira. A lista pode ser consultada no site do Ministério da Saúde.

Além da farmácia municipal, ainda existe o programa do Governo Federal junto às farmácias credenciadas, o Programa Farmácia Popular do Brasil, que fornece medicamentos específicos à hipertensão, diabetes e asma, com o objetivo de agregar e desafogar o sistema público municipal.

Outro fator desencadeado em São Mateus do Sul segundo Cláudia é, “de alguns anos para cá a demanda pela procura de medicamentos aumentou muito, desde a saída de várias empresas terceirizadas da Petrobras, a Prefeitura recebeu um volume muito grande de procura”.

Segundo a secretaria, com o lançamento do empenho são cerca de 15 dias para os medicamentos começarem a chegar. A expectativa é para que o mês de março já seja restabelecida a ordem dos medicamentos na farmácia do município.

Existe uma média diária pela procura de medicamentos (cerca de 450 pessoas), e no início de mês, o número chega à 600. Ao se falar em medicamentos, cerca de 20 itens que são o carro chefe da farmácia do município, dentre eles se destacam medicamentos para pressão, diabetes, antibióticos, anti-inflamatórios, anticonvulsivantes e antidepressivos.

“O empenho da administração pública é ter um variedade e quantidade grande de medicamentos a disposição da população, mas as vezes acontecem alguns entraves, os quais procuramos solucioná-los da maneira mais rápida possível para que não afete o fornecimento dos medicamentos. Nosso empenho será sempre para ampliar o atendimento com qualidade a toda a população”, completa Marcos.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Mulher tem filho em casa após consulta e exame apontarem quadro normal
Nova etapa de multivacinação e pólio está em curso no País
Quase 3 mil pessoas já foram vacinadas contra a gripe em São Mateus do Sul