(Imagem Ilustrativa)

O mês de agosto é conhecido como Agosto Dourado por simbolizar a luta pelo incentivo à amamentação – a cor dourada está relacionada ao padrão ouro de qualidade do leite materno.

Há cerca de vinte anos, entre os dias 1º e 07 de agosto, acontecem ações no mundo todo em prol da amamentação. São dias de intensas atividades que buscam promover o aleitamento exclusivo até o sexto mês de vida, se estendendo até os dois anos ou mais de idade. A Semana Mundial da Amamentação (SMAM) está focada na sobrevivência, proteção e desenvolvimento da criança, sendo considerada um veículo de promoção do aleitamento em 120 países. No Brasil, a data foi instuída pela Portaria de Consolidação nº 1/2017, art. 527.

Por meio do leite materno o bebê recebe os anticorpos da mãe que o protegem contra doenças como, diarreia e infecções, principalmente as respiratórias. O risco de asma, diabetes e obesidade é menor em crianças amamentadas, mesmo depois que elas param de mamar. A amamentação é um excelente exercício para o desenvolvimento da face da criança, importante para que ela tenha dentes fortes, desenvolva a fala e tenha uma boa respiração.

História

A história da Semana Mundial de Aleitamento Materno teve início em 1990, num encontro da Organização Mundial de Saúde com a UNICEF, momento em que foi gerado um documento conhecido como “Declaração de Innocenti”. Para cumprir os compromissos assumidos pelos países após a assinatura deste documento, em 1991 foi fundada a Aliança Mundial de Ação Pró-Amamentação (WABA, sigla em inglês). Em 1992, a WABA criou a Semana Mundial de Aleitamento Materno e, todos os anos, define um tema a ser explorado e lança materiais que são traduzidos em 14 idiomas com a participação de cerca de 120 países.

São dias de intensas atividades que buscam promover o aleitamento exclusivo até o sexto mês de vida, se estendendo até os dois anos ou mais de idade. Para a Semana de 2020, o tema definido foi “Apoie o aleitamento materno para um planeta mais saudável” e tem como principais objetivos:

INFORMAR pessoas sobre as ligações entre a amamentação e o ambiente/mudanças climáticas. A amamentação é um excelente exemplo das profundas conexões entre a saúde humana e os ecossistemas da natureza;

FIXAR a amamentação como uma decisão climática inteligente. O aleitamento materno é natural, renovável e ambientalmente seguro;

ENVOLVER-SE com indivíduos e organizações para obter maior impacto. Proteger, promover e apoiar a amamentação aborda as desigualdades que impedem o desenvolvimento sustentável;

ESTIMULAR ações para melhorar a saúde do planeta e das pessoas através da amamentação. A SMAM2020 incide sobre o impacto da alimentação infantil no meio ambiente.

A amamentação é um dos melhores investimentos para salvar vidas infantis e melhorar a saúde, o desenvolvimento social e econômico dos indivíduos e nações. Criar um ambiente propício para padrões de alimentação infantil ideais é um imperativo da sociedade. Então, o que é necessário para criar um ambiente favorável e melhorar as práticas de amamentação? Proteção, promoção e apoio à amamentação são estratégias importantes em nível institucional e individual. Ações coordenadas para otimizar a alimentação infantil em tempos normais e em emergências é essencial para garantir que as necessidades nutricionais de todos os bebês sejam atendidas.

Quem coordena a Semana de Amamentação é o Ministério da Saúde, responsável por adaptar o tema do ano e por elaborar os materiais informativos para distribuição pública.

As ações têm apoio de Secretarias de Saúde Estaduais e Municipais, da Rede Brasileira de Bancos de Leite e de ONGs ligadas ao aleitamento materno.

Redação

Redação

Redação do jornal Gazeta Informativa
Redação

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Paralisação dos caminhoneiros bloqueia parcialmente a BR-476 em São Mateus do Sul
Governo do Paraná abre concurso com salários de até R$ 6,6 mil
Grupo de 55 pessoas visita Terra Santa