Agricultura

Seminário Municipal da Agricultura Orgânica acontece em São Mateus do Sul

O evento focou da produção a comercialização dos produtos orgânicos, garantindo a saúde, renda e sustentabilidade. (Fotos: Cláudia Burdzinski/Gazeta Informativa)

Organizado pela Secretaria Municipal de Agricultura, Meio Ambiente e Indústria e Comércio, o “Seminário Municipal da Agricultura Orgânica da Produção a Organização”, aconteceu na sexta-feira (27/07), nas dependências da Sala do Empreendedor. As dezenas de participantes puderam conferir palestras que divulgaram a importância da união da produção orgânica com a saúde, renda e sustentabilidade.
Segundo o Secretário Municipal de Agricultura, Meio Ambiente e Indústria e Comércio, Helio Toshio Sakurai, esse seminário foi pensado em toda cadeira produtiva, do plantio ao mercado. “Para essas palestras buscamos os melhores profissionais de cada área”, afirma. Os temas abordados foram: certificação orgânica gratuita; produção orgânica de alta qualidade; produção de kiwi, morango, mirtilo, framboesa e amora; cozinha industrial certificada; e acesso ao crédito.

“Buscamos palestras de alto nível. Tenho a certeza que os agricultores saíram com a convicção de que se produzirem bons produtos, haverá mercado”, ressalta. Todos os presentes receberam certificados de participação no seminário.

O que é agricultora orgânica?

Basicamente, a agricultura orgânica é o encontro do novo com o antigo. Isso se dá porque, no domínio da agricultura orgânica, o foco está na produção de alimentos sem o uso de fertilizantes sintéticos ou agrotóxicos. Nesse sentido, ela vai ao encontro do passado e recupera o modo dos antigos de cultivar alimentos, centrando na qualidade e na necessidade de produzir comida saudável, e não, alimentos envenenados.

Mas e o elemento novo, onde se encontra? A agricultura orgânica tem buscado desenvolver técnicas de cultivo, visando a produtividade não-predatória do solo. Ao banir o uso de fertilizantes sintéticos, esse tipo de agricultura foi atrás de outras formas de adubação como compostagem, minhocultura e adubação por meio de leguminosas que fixam o nitrogênio no solo, conhecida também como adubação verde. Assim, os fertilizantes sintéticos deram lugar aos fertilizantes naturais e ao uso da tecnologia e dos conhecimentos modernos para ter produtividade.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Projeto São Mateus Agroecológico “Agroecologia nos Municípios” avança em cidade do Paraná
Compras Paraná tem edital aberto até 16 de maio
Feira Livre do Produtor de São Mateus do Sul completa 30 anos