Artigo de Opinião

Ser professora é virar heroína até depois de partir

(Imagem Ilustrativa)

Ser professor é uma das profissões mais nobres que existem. A oportunidade de compartilhar o conhecimento, ensinar a ler e escrever, faz com que a magia de descobrir esteja sempre presente. Tenho certeza que você teve professores que marcaram a sua trajetória, e quero que lembre deles em todos os momentos de sucesso pois estes profissionais foram fundamentais para que isso acontecesse.

Lembro que quando eu era pequenininha tinha medo de não conseguir ler e nem escrever. Pensava que era a coisa mais complicada do mundo – e talvez até fosse –, mas com a ajuda dos professores, percebi que era capaz de vencer qualquer dificuldade.

O dia 15 de outubro é a data destinada a todos os professores que merecem ser reconhecidos dentro e fora da sala de aula. Infelizmente ainda existe uma grande disparidade entre os salários dos profissionais da educação com outras carreiras no mercado de trabalho, mas o que falta é a consciência de que é pelas mãos de um professor que existe o desenvolvimento pessoal e profissional em todas as áreas.

Além de ensinar, o professor também se torna amigo de seus alunos. Alguns até exercem o papel de conselheiro, pois aquele jovem vê na confiança repassada pelo professor uma oportunidade para desabafar.

Praticamente metade das mulheres da minha família são professoras do ensino fundamental e desde muito cedo pude acompanhar as histórias de suas salas de aula. Minha bisavó, que infelizmente não tive a oportunidade de conhecer, inovava nas aulas e junto de seu violão, em meados dos anos 40, cantarolava para seus alunos em aulas diferenciadas e que aproximavam ainda mais as crianças do aprendizado.

Tenho uma tia-avó que é aposentada como professora do ensino fundamental, e há alguns meses ela estava passando por uma forte cirrose medicamentosa. Os tratamentos não estavam correspondendo mais, a dor e o desconforto afligiam ela e seus familiares que sofriam ao ver como sua saúde estava abalada. Sua única esperança era o transplante, e dessa forma, ela foi inclusa na lista de espera por um fígado saudável.

No dia 12 de outubro, um milagre realmente aconteceu, e ao meio dia, recebemos a notícia de que e nossa tia havia conseguido um fígado novo. Além da data ser comemorativa a Nossa Senhora Aparecida, o que mais nos surpreendeu foi de que o fígado novo foi doado pelos familiares de uma professora de 41 anos, que havia recebido a confirmação da morte cerebral.

Nesse Dia dos Professores quero dedicar esse espaço em homenagem a família da professora que abraçou a causa da doação de órgãos. Envio também energias positivas para que a dor do luto passe o mais rápido possível. Que ela, junto de Nossa Senhora Aparecida abençoe a família que com certeza está orgulhosa dessa linda atitude de heroísmo! Obrigada! O Dia dos Professores é totalmente seu!

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
O dinheiro é só consequência
Avante gincaneiros!
Junto das chamas a morte de nossa história