Política e Cidadania

Sessões solenes marcam diplomações dos novos prefeitos, vices e vereadores de São Mateus do Sul e de Antonio Olinto

Às 14h, aconteceu a entrega dos diplomas para o prefeito reeleito de Antonio Olinto, Fábio Machiavelli, seu vice Antônio Dirceu, para os nove vereadores do município e alguns dos suplentes que se fizeram presentes. Às 17h, foi realizada a diplomação do prefeito de São Mateus do Sul para nova gestão, Luiz Adyr Gonçalves Pereira, o vice José Stuski, os nove novos vereadores locais e seus suplentes. (Fotos: Alexandre Douvan)

Na terça-feira (13/12), reuniram-se, no Fórum Eleitoral Desembargador José Lemos Filho de São Mateus do Sul, autoridades e candidatos eleitos e os suplentes dos municípios de São Mateus do Sul e Antonio Olinto no último pleito eleitoral para a Sessão de Diplomação.

A Diplomação é o ato pelo qual a Justiça Eleitoral atesta que o candidato foi efetivamente eleito pelo povo e, por isso, está apto a tomar posse no cargo. Nessa ocasião, ocorre a entrega dos diplomas, que são assinados, conforme o caso, pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) ou da junta eleitoral.
Estiveram presentes na cerimônia e compondo a mesa o Comandante do posto da Polícia Rodoviária Estadual de São Mateus do Sul, Sandro José Skodoski; o Delegado-Chefe da 3ª subdivisão da Polícia Civil, Jonas Eduardo Peixoto; o Comandante da 3ª Cia – São Mateus do Sul, Ederson Crevelin; o representante da OAB, Alan Santos; e procederam à diplomação o juiz e o promotor da 12ª Zona Eleitoral, Rodrigo da Costa Franco e Dr. Almir Carreiro Jorge Santos.

Às 14h, os vereadores diplomados de Antonio Olinto foram José Machiavelli, Jurandir Ferreira, Cezar de Camargo, Marinaldo Lemes, Tania Mara, Wilson Napoleão, João Borba, Rinaldo Plegrino e Anibeli Cordeiro, que fez uso da palavra durante a cerimônia. Anibeli cumprimentou todos os candidatos eleitos e as autoridades que se faziam presentes, ressaltou que esta cerimônia marca um dia especial e que faz parte do processo democrático eleitoral que culminará na posse dos eleitos no dia 1º de janeiro do próximo ano. “É um dia para agradecermos a todos que confiaram em nós mesmo com o cenário político nacional sendo manchado com vários casos expostos de corrupção, desvio de recursos e todo tipo de conduta totalmente reprovada pela sociedade. Com certeza é um grande desafio que vamos enfrentar, mas estamos dispostos para, juntamente com a administração municipal na pessoa de meu amigo, prefeito ‘Fabinho’, fazermos o melhor de nós pelo crescimento e desenvolvimento de nosso município em todas as áreas. Nosso compromisso é com o povo”, ressalta Anibeli.

O prefeito reeleito de Antonio Olinto, Fabio Machiavelli, popularmente conhecido como Fabinho, também fez o uso da palavra ressaltando junto às autoridades que compunham a mesa a responsabilidade que terão nos próximos quatro anos. “A diplomação é um momento importante para a legalidade de estarmos assumindo um mandato público e atender aos anseios do nosso município e da nossa população. Conto com a confiança dos nove vereadores eleitos para que sempre possamos trabalhar juntos”.

Fábio dirigiu-se aos suplentes dos vereadores que ali estavam presentes para pedir que sempre estejam presentes nas sessões pois também foram votados pela população e podem assumir o cargo caso necessário. “Junto com meu vice, Antônio Dirceu, tenho certeza que iremos fazer nos próximos quatro anos, onde em uma gestão pública sabemos que podem existir erros, podem existir acertos, mas jamais podemos permitir a desonestidade e atos que se desencontram com os interesses da população”. Fabinho falou à Gazeta Informativa ao final da sessão sobre os desafios e expectativas para os próximos anos: “sabemos que o nosso mandato é uma continuidade do trabalho iniciado em 2013. Um trabalho sempre planejado, porém, uma das maiores dificuldades que não só o nosso município, mas o próprio estado e o país enfrentarão em 2017 é a crise financeira nacional. Mas acredito que consigamos superar pois nosso município encontra-se com as contas em dia e esse é o nosso passo mais importante para o crescimento”. Sobre novos projetos sobre os quais estarão trabalhando, o prefeito destaca que será iniciada a obra de um portal turístico na entrada da cidade, temos uma visita do deputado João Arruda agendada para o mês de fevereiro ao Ministério do Turismo para que possamos dar mais destaque ao Santuário Ucraniano de Antonio Olinto.

Diplomação dos eleitos e suplentes de São Mateus do Sul

Com cerca de 15 minutos de atraso começou a cerimônia de diplomação dos eleitos e suplentes de São Mateus do Sul, que era prevista para às 17 horas. A mesa de autoridades foi a mesma que fora composta para a sessão de Antonio Olinto.

Seguindo o protocolo, o vereador mais votado, Omar Picheth fez uso da palavra, procurando ressaltar que entrou para a vida pública com o interesse de honrar o nome de seu pai. “Quando concorri pela primeira vez, eu não queria, mas o motivo está aqui [a mãe], ela me obrigou a sair candidato. E depois que entrei acabei viciando nisso. É o único vício que minha mãe me fez contrair, é o vício de cuidar bem do meu povo”, e Picheth concluí que “a política me fez compreender o porquê das pessoas virem até mim. Obrigado mãe, por ter me dado esse único vício. Alguns dizem para seguir minha carreira sozinho, sem usar o nome do meu pai, mas acontece que poucos tiveram a chance de ter o caminho aberto como eu tive”.

A vereadora eleita Fernanda Sardanha também se pronunciou, agradeceu a confiança de seus eleitores e enalteceu a amizade com o prefeito Clóvis Ledur. Fernanda também lembrou que deve-se fortalecer o incentivo para que “cada vez mais pessoas que tenham compromisso com projetos, com as políticas públicas ergam essa bandeira e possam fazer a diferença. Acredito na representatividade feminina e que cada vez isso cresça mais, porque hoje, em dados estatísticos, a população eleitoral feminina ultrapassa os 50%. É um número muito específico. E que a participação da mulher na política não seja para cumprir cotas, mas para fazer a diferença em todas as questões sociais que vivenciamos diariamente”. Conclui falando aos futuros colegas da Câmara: “cada um de nós traz o seu legado, a sua ideologia, a sua bandeira. Não digo bandeira política, mas de projetos e ideais. Mas creio que possamos criar um interesse coletivo e que sempre seja visada a vontade do povo”.

O prefeito eleito, Luiz Adyr, iniciou seu pronunciamento parabenizando a justiça eleitoral e candidatos por conta das eleições terem corrido dentro da legalidade e normalidade. “Gostaria de saudar também toda a população de São Mateus do Sul, que entendeu o nosso recado e nos conduziu novamente a governar nosso município”. Luiz Adyr ressalta ainda que “Há de se ter coragem hoje para ser político, principalmente por tudo o que estamos vendo na cena política do nosso país. Nós, que estamos aqui sendo diplomados no dia de hoje, não podemos nos esquecer daqueles que disputaram as eleições conosco e não obtiveram êxito, mas que não podem desanimar da política. Para vereador são nove cadeiras e é uma disputa muito grande, mas todos aqueles que foram candidatos tiveram grande importância no pleito”.

Sobre o enredo em que o município se encontra, o prefeito eleito afirmou que será “um trabalho árduo, tanto para mim e para o vice-prefeito. Conclamo todos os vereadores para que nos apoiem e nos ajudem, independentemente do lado político do qual foram eleitos pois o nosso objetivo maior é o bem de São Mateus do Sul. Estive pesquisando alguns relatórios e observei que o município tem uma capacidade para endividamento boa, de R$ 9.900.000. Só que terão de ser tomadas providencias para baixar o índice de total de pessoal. Pois no segundo quadrimestre de 2016 está em 56.1. Para falar em números, a despesa total com pessoal segundo o relatório do Tribunal de Contas atingiu a marca dos 50 milhões de reais, sendo que o valor máximo permitido circunda os 48 milhões. Fiz até um cálculo, no qual a diferença, se for dividida por 12, teremos o resultado de cerca de 123 mil reais, o que seria o valor a diminuirmos por mês para conseguirmos bater o limite”. Conclui Luiz que “precisamos disso para que possamos ter acesso a financiamentos, que são muito importantes para o crescimento do município. Não falo isso para criticar ninguém, mas para chamar atenção dos nossos vereadores de que realmente teremos pela frente um trabalho árduo e não haverá espaço para fazer uma política demagógica, uma política eleitoreira. A coisa mais fácil que tem é agradar as pessoas, mas temos que pensar seriamente no nosso município. Procurei fazer uma campanha simples, sem promessas, porque sabia que a situação será difícil. Mas vamos aguardar concluir esse ano e esperamos, oxalá, que tenhamos notícias positivas”.

O atual prefeito, Clóvis Ledur, também se pronunciou, ressaltando o complicado momento em que se enquadra a política brasileira e salienta que com o passar do tempo poderá avaliar como foi seu trabalho frente a prefeitura. O prefeito lembrou o pronunciamento de seu sucessor, Luiz Adyr: “fico feliz com a referência que o senhor fez à nossa capacidade de endividamento, isso significa que o município não está quebrado. A situação da nossa folha é pública, temos o compromisso com o Ministério Público de reduzi-la, mas o doutor só esqueceu de olhar o relatório de 2016, olhou somente até 2015. Nossa receita corrente líquida de 2016, em fevereiro, era de R$ 89.500.000 aproximadamente, e de outubro, o relatório está em nosso site, é de R$ 89.300.000. Significa que tivemos durante o ano um decréscimo na receita corrente líquida, isso é fato e é público e a despesa, infelizmente, permanece em ascensão”.

Explicando o aumento dos gastos, Ledur lembra que “durante nossa gestão, recebemos 10 médicos cubanos, mas os médicos não trabalham sozinhos, portanto teve-se de aumentar toda a equipe. Construímos um centro de fisioterapia e contratamos sete novos fisioterapeutas, o que gera um impacto de cerca de R$ 500.000,00 por ano em nossa folha, serviço que antes era terceirizado, importante citar isso”.

Ledur ainda frisa que “esse vem sendo realmente um ano difícil. Tivemos progresso em nossa receita até 2016, ano em que teríamos que ter arrecadado no mínimo 5% a mais, mas isso não aconteceu e as despesas são fixas. Gastamos aproximadamente R$ 28 milhões com educação, de onde não podemos retirar nada, por isso acaba muitas vezes ficando o fardo para obras, estrada rural, qualquer lugar de onde se possa remanejar um pouco do orçamento. São situações preocupantes, mas eu tenho a certeza que na próxima gestão todos terão a serenidade para conseguir regularizar aquilo que na opinião de vocês não está correto”.

Os membros do poder judiciário presentes na sessão também se pronunciaram em ambas as cerimônias seguindo a mesma linha de argumentação. Dr. Almir frisou que a lei deve ser respeitada por todos, independentemente do cargo que ocupam e que as instituições devem ser respeitadas. Lembrou o caso ocorrido na última semana do desacato a decisão do STF por parte do Senador da República Renan Calheiros como um marco triste na história brasileira. Almir enfatiza que os princípios da democracia devem ser respeitados e que todo poder emana do povo.

O juiz Rodrigo da Costa, assim como o promotor Almir, ressaltou que a democracia não pode ser ferida. Parabenizou todos os candidatos e demais pessoas que com ele trabalharam durante o processo eleitoral pelo trabalho claro e coeso. Salientou que o cidadão busca uma nova política, mais limpa e honesta, e que isso se reflete no acolhimento e cumprimento das novas normas eleitorais.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
A visão dos são-mateuenses para a nova gestão política de Bolsonaro
38ª sessão ordinária do ano da Câmara Municipal de São Mateus do Sul
Qual a receita para manter a região preservada, mas desenvolver e melhorar a economia?