É meio que unânime a busca por diversificação e desenvolvimento, na análise dos planos de governo que cada um dos candidatos faz, visando apresentar o que lhe qualifica para receber o voto no dia 15 de novembro. Diferente do atual prefeito Luiz Adyr Gonçalves Pereira que manteve as mesmas propostas que o elegeram em 2016, com três novas e algumas alterações de termos.

São Mateus do Sul tem forte vocação agrícola, com grande produção de erva-mate e certificação concedida de Identificação Geográfica (IG), em 21 de setembro de 2017. Podendo ser cultivada em meio aos ambientes nativos, sombreada. Tendo na soja outra cultura de grande expressão na casa de 100 mil toneladas por ano. Disso, a importância de propostas direcionadas para a agricultura são-mateuense.

Candidata a prefeita Fernanda Sardanha e vice-prefeito Adão Staniszewski.

A candidata Fernanda Sardanha (PSD) propõe reativar o viveiro municipal, com mudas frutíferas, ornamentais e nativas, estimular a agroindústria, inclusive ajudando estruturas familiares. Ela cita apoio para diversificação, piscicultura, apicultura e fruticultura como oportunidades de renda no campo. Outro ponto é o fortalecimento do Conselho Municipal de Desenvolvimento Sustentável da Agricultura Familiar.

Para este setor, ainda, estimulo à produção orgânica com equipe técnica dando assistência para diversificar e instalar hortas e pomares, inclusive com mudas do viveiro que pretende reativar. Visando tanto o comércio quanto a boa nutrição familiar. Apoiar associativismo e valorizar a mulher agricultora, instalar a Casa do Agricultor para acolher cursos, formações, reuniões e aproximar o agricultor da secretaria; são proposições.

Como auxílio, programa ‘estrada rurais’, cita o plano de governo de Fernanda Sardanha. Também o ‘Samas + você’ com atividades e projetos junto de parceiros públicos e privados. Outro projeto é o ‘horta em toda parte’ com fomento ao plantio comunitário e inserção pedagógica com participação da população atendida por CRAS/CREAS. Também projetos de redes de distribuição de água e sustentabilidade.

Candidato a prefeito Eduardo Pedroni e vice-prefeito Cabo Lima.

Dr. Eduardo (PTB) descreve o objetivo de estabelecer parcerias transparentes e efetivas com agricultores. Fortalecendo a agricultura familiar e agroindústria. O plano de governo foca valorização e estímulo à produção orgânica e articulações com as políticas públicas federais e estaduais (PAA, PNAE, PNCF, Pronaf, entre outras). Oferecendo tecnologia e capacitação dentro de cada realidade com foco nos recursos naturais.

Projetos para agricultura familiar para soberania alimentar e qualidade de vida é outro ponto citado pelo candidato. Ainda, estímulo para comercialização direta, por meio feiras e associações, parcerias com setores públicos e privados, fortalecimento da Casa Familiar Rural – estabelecendo cursos de formação pós ensino médio para os jovens agricultores e capacitação para criação de microempresas e associações (autogestão).

O projeto ‘Maquinário Solidário’ visa baratear o custo da hora máquina para o pequeno e médio produtor. Somado de melhoria nas estradas, diagnóstico e planejamento (curto, médio e longo prazo) para fomentar a instalação de empresas do agronegócio e apoiar instaladas. Programa de desenvolvimento rural sustentável e utilização de energias limpas e engajamento social e popularização do turismo rural, propõe Dr. Eduardo.

Candidato a prefeito Luciano Castilho e vice-prefeito Esaú Paul.

O candidato do PSL, Luciano Castilho, observa que a agricultura ‘tem extrema importância a São Mateus do Sul’. Disso a prioridade na manutenção das estradas rurais, vista sobre o prisma de ‘obrigação mínima do setor público para que haja deslocamentos e transportes das safras agrícolas’. O plano de governo sugere convênio com o Governo do Estado para asfaltamento de estradas rurais visando impulso ao desenvolvimento.

Diversificar e agregar valores para a produção nas pequenas propriedades, atendimento tecnológico, programa ‘Porteira Adentro’ e fomenteo à capacitação dos agricultores, mantendo cuidados com meio ambiente e incentivando a proteção das fontes de água nas áreas rurais e urbanas, propõe Luciano Castilho. Ainda, projeto de ‘hortas comunitárias’ e fortalecimento do projeto de hortifrutigranjeiro.

Candidato a prefeito Argos Fayad e vice-prefeito Renato Possebon.

Pelo MDB, Argos Fayad, menciona a importância de municipalizar a concessão de licenças ambientais, apoio para a o agricultor familiar, erva-mate e agronegócio, no seu plano de governo. Para ele é fundamental não depender do estado para ter a permissão de explorar economicamente as terras, disso o interesse de trabalhar pela prefeitura no auxílio neste quesito de liberações para cultivo.

O candidato cita ainda que é necessário facilitar a ‘prática de manejo sustentável com plantio de erva-mate’. A adequação das estradas rurais para permitir o transporte de insumos e produção também compõe o plano de governo. Com incentivo ao agricultor familiar, produção de frutas e hortaliças e agroindústrias familiares. Focando ainda no incentivo para venda via Feira do Produtor.

Candidato a prefeito Luiz Adyr e vice-prefeito José Stuski.

Luiz Adyr (PSDB) tenta reeleição com praticamente as mesmas propostas de 2016, incluindo três questões novas e mudando alguns termos no plano de governo para 2021/2024. O candidato cita mobilizar recursos, buscar parcerias e atuar para ampliar e agregar valor à produção agropecuária. Para isso, apoio técnico da própria prefeitura e convênios para oportunidades de renda.

‘Restauração e melhoria’ das estradas rurais é outra proposta do candidato. Consolidar a liderança no setor da erva-mate com obtenção de certificação da qualidade. Facilitar o acesso aos insumos e máquinas, apoio na concessão de créditos. Estímulo à indústria rural e feira do produtor e incentivo à agroindustrialização e ações para evitar o êxodo rural, com apoio nos serviços públicos.

Além das mesmas propostas do plano de governo de 2016, para executar no atual mandato, surgem três proposições novas de Luiz Adyr: incentivo para granjas de aves e suínos, ovinocultura em meio à erva-mate sombreada e apoio para hortifrutigranjeiros orgânicos e agroecológicos. O GI fez contato com a coordenação de campanha perguntando sobre a semelhança das propostas, mas não teve retorno sobre o assunto.

Candidato a prefeito Dejair de Jesus Padilha e vice-prefeita Chaiane Stange.

Dejair de Jesus Padilha concorre pelo PT e destaca um conjunto de ações para o setor agropecuário. Equipe multidisciplinar com cinco profissionais prestando assistência técnica e extensão rural, projeto de incentivo às pequenas agroindústrias, com implantação de um centro de formação profissionalizante para esta especificidade, norteiam o plano de governo do candidato petista.

Ter recurso no orçamento para experimentos e pesquisas diversas, voltadas a produção agropecuária, em conjunto com organismos públicos, instituições de ensino ou pelo próprio município. Parceria com a Petrobras SIX sobre Calxisto. Estudar as famílias rurais para implementar programas e projetos de qualidade de vida. Dispor de áreas de terra para promover o trabalho de jovens e trabalhadores.

Dejair pretende implantar o programa de horas máquinas na propriedade rural. Criar um plano municipal de desenvolvimento rural e oferecer crédito para a mulher e jovem agricultora, com promoção da capacitação. Melhorar a internet na área rural, incentivar as mulheres como protagonistas e criar um sistema de comercialização dos produtos dos agricultores, antecedida por pesquisa de mercado.

Candidato a prefeito Jorge Roiko e vice-prefeita Marta Centa.

Pelo PDT, Jorge Roiko menciona que pretende descentralizar o pátio de maquinários, em quatro regiões estratégicas, tendo suporte de máquinas, caminhões, britador móvel, manilhas e pedras para manutenção de todas as estradas rurais. Promover parcerias com empresários para capacitação e melhoria. Auxiliar a diversificação da propriedade rural, tendo programas de assistência técnica e diversas culturas.

Melhorar as variedades genéticas, criar o programa de apoio à agricultura familiar, com maquinário e capacitação e incentivo à produção orgânica e agroecológica. Também comércio de produtos e fortalecimento das cooperativas e associações. Apoio à bacia leiteira, com acesso às propriedades e programa de inseminação. Ainda, produzir mudas de erva-mate, frutíferas e flores e construir áreas de escape nas estradas rurais.

Sidnei Muran

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Câmara de Vereadores de São Mateus do Sul faz moção de repúdio à deputado de Santa Catarina
Servidores municipais da área da saúde protestam contra Projeto de Lei na Câmara Municipal
Criação de sistema de inspeção de produtos no município causa debate entre vereadores