Um grupo de pessoas, todos homens, na atual Rua Dom Pedro II. Nessa fotografia em preto e branco, sem data, não temos nenhuma informação sobre o acontecimento que foi registrado na imagem. Possivelmente, a fotografia foi feita por Estanislau Budzinski, que foi fotógrafo em São Mateus do Sul durante muitos anos.

Homens e animais estão posicionados para uma fotografia. Na primeira fila, os homens estão montados e no entorno, mais homens participando desse acontecimento. Duas crianças próximas a uma carroça. O que aparece na imagem, além das pessoas e dos animais, são as construções (partes) e a vegetação. Não são residências, são edifícios públicos. O antigo Grupo Escolar “São Matheus”, o Paço Municipal e a Sociedade-Escola Casimiro Pulaski (Kazimierz Pulawski). Diferente das outras duas, essa edificação em madeira, do final do século XIX, foi vendida e transferida de lugar.

As árvores que aparecem na foto, supostamente podem ser de erva-mate e uma delas, talvez, o “Carvalho do Umbenau”. Essa árvore (carvalho), foi plantada pelos imigrantes poloneses e representa um marco histórico da colonização polonesa em São Mateus do Sul. Foi tombada em 24 de janeiro de 1990, através da curadoria do Patrimônio Natural da Secretaria de Estado de Cultura do Paraná. Infelizmente, a referida árvore veio a morrer, de causas que desconheço, possivelmente naturais. Por isso, esse lugar, que hoje é denominado Praça Alvir Licheski é conhecida por muitas pessoas como Praça do Carvalho.

Essa construção em madeira que se destaca na fotografia, teve vários nomes. Fundada em 1896, essa antiga instituição, foi instalada onde funcionou a antiga sede da sociedade “O Atirador”. Em 1905, funcionou como Escola Alemã, sendo seu primeiro professor Artur Stander, com 55 alunos, fechada em 1918 durante a Primeira Guerra Mundial. (STANISZEWSKI,2014, p57). Essa edificação também já foi sede do Clube Recorde que se uniu ao Clube 1° De Maio, formando o Clube União Beneficente Náutico (Unbenau), em 1967. O Clube Unbenau, atualmente, funciona em outra edificação, no Parque Iguaçu.

Ainda precisamos descobrir o que estava acontecendo naquele dia (a pesquisa continua). A data da foto, com certeza é posterior ao ano de 1922, pois a prefeitura foi inaugurada naquele ano. Outra dificuldade em relação aos depoimentos orais é que quanto mais distante estamos do fato ocorrido, mais antiga é a fotografia, portanto, menos chance de existirem testemunhas que possam relatar sobre aquela época.

Referências:

GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ. Secretaria do Estado da Cultura. Boletim de bens tombados- Estado do Paraná. Árvores. Curitiba-1992.

STANISZEWSKI, Rosane Souza. Uma investigação sobre o ensino da matemática nas escolas polonesas em São Mateus do Sul. Curitiba. 2014. Universidade Federal do Paraná.

Últimos posts por Hilda Jocele Digner (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Efemérides
Uma caçada de perdizes
2021: novos desafios!