Jornal de São Mateus do Sul (PR) e região

Sociedade Garantidora de Crédito oportunizará investimentos em São Mateus do Sul

São Mateus do Sul já possui o convênio com a SGC assinado e os dois agentes de créditos capacitados. (Foto: Alexandre Müller/Gazeta Informativa)

As Sociedades Garantidoras de Crédito (SGC), são formadas basicamente por empresários locais, em parceria com instituições financeiras, agências de fomento e outras entidades de apoio ao desenvolvimento econômico local.

Esse tipo de associação foi criado para fomentar o desenvolvimento regional e facilitar o acesso ao crédito por meio do complemento das garantias exigidas pelas instituições financeiras para os pequenos negócios que fazem parte da Associação. As SGC são uma inovação financeira adotada no país desde 2003, que ajudam a diminuir os riscos para os agentes financeiros e viabilizam o acesso a crédito para as micro e pequenas empresas.

Neste momento difícil da economia, as SGC aumentam as chances do empresário obter financiamento. Elas ajudam a reduzir taxas de juros e alongam os prazos de pagamento e também, oferecem outros benefícios aos tomadores de crédito, como assessoramento empresarial e capacitação. Além disso, induz a prática de menores taxas de juros em função da redução do risco da operação e maiores prazos de pagamento. Para as instituições financeiras os benefícios são: garantia líquida e certa, e redução dos custos da análise de riscos.

Se em tempo de economia estável os pequenos negócios enfrentavam dificuldades para acessar crédito, com os recentes e sucessivos aumentos da taxa de juros e da inflação, obter financiamento junto a um banco, uma agência de desenvolvimento ou uma cooperativa de crédito, torna-se um desafio ainda maior. O momento econômico nacional, concordam os especialistas, é de retração e encarecimento do crédito, majoração dos custos e redução da renda disponível. Essa conjuntura impõe às empresas um cuidado maior com dívidas e operações de crédito. Os bancos emprestam menos e mais caro. As empresas faturam menos e seus lucros encolhem.

Segundo Francisco Marini, Consultor Financeiro do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e credenciado pela entidade para atuar no programa Cidade Empreendedora, no referido programa são trabalhados 9 eixos da legislação e um deles, talvez o mais importante é o acesso ao crédito.

O Sebrae percebendo que uma das maiores dificuldades para o acesso a esse crédito é constituir um avalista da operação, criou uma Sociedade Garantidora de Crédito (SGC), aportando um valor de cerca de R$ 7 milhões, disponível para que a SGC possa ser avalista das operações.

Hoje, São Mateus do Sul conta com 2 agentes do Sebrae e da Prefeitura Municipal, capacitados pelo Fomento Paraná para entenderem sobre o processo de crédito. O empresário que tiver a necessidade de crédito pode contar com essa prestação de serviços no crédito orientado, que colaborará com a compreensão do empresário acerca de sua necessidade dessa demanda financeira.

A SGC tem a responsabilidade de 80% do valor total, por isso, se houver a necessidade de uma inadimplência a SGC aporta o valor em 24 horas ao banco que emprestou o dinheiro. A SGC analisa a proposta e com sua aprovação, cede uma Carta de Crédito para o empresário ir aos bancos conveniados para que eles negociem uma taxa junto aos gerentes. Essas negociações tem a taxa de juros reduzida em até 1,5% em relação ás taxas aplicadas no mercado, segundo o consultor do Sebrae.

De acordo com Francisco, para conseguir a Carta de Crédito através da SGC, não há custos ao empresário e nem ao município. “A SGC solicita apenas as garantias reais, de acordo com o valor da operação. Há uma necessidade de garantia, sejam bens, penhores ou hipotecas. No momento da análise da proposta, segundo o montante do capital e pela linha de crédito utilizada, seguem-se as normativas do Banco Central, orientadas pelos agentes.”

Segundo Francisco, São Mateus do Sul já possui o convênio com a SGC assinado e os dois agentes de créditos capacitados. A partir de agora os empresários são-mateuenses podem se dirigir ao Ponto de Atendimento do Empreendedor e a Sala do Empreendedor para fazerem as propostas de crédito para que surta efeito diante a comunidade.

Em um primeiro momento o empresário fará uma conversa formal com os agentes de crédito que farão uma análise das necessidades, uma pré análise das intenções da aplicabilidade desse recurso financeiro pleiteado. “Depois de entendermos que a proposta vai colaborar para o desenvolvimento e fortalecimento da empresa, haverá a necessidade de um check-list para formalizar o cadastro e suas garantias. Para a SGC ser avalista da operação, ela precisa entender quem é o cliente tomador desse crédito”, garante o representante do Sebrae.

A SGC colaborará muito com o município em virtude de que primeiramente o empresário passará por capacitações e acompanhamentos por especialistas da área do crédito do Sebrae e a acessibilidade do crédito é tranquila, e os juros são bastante reduzidos quando se usa a SGC como avalista. Hoje o mercado atua com 2 a 2,5% e a mesma quantia em dinheiro terá cerca de 1,8 %, juros que podem ser absorvidos pelo empresário.

O valor mínimo para o empréstimo é de R$ 5 mil enquanto o máximo chega à casa de R$ 120 mil. Em algumas operação dentro da SGC existem normativas que podem colaborar com os empresários com até R$ 300 mil, dependendo da linha de crédito e as garantias.

A SGC é uma sociedade que conta com a participação de alguns bancos. O Sebrae deu a iniciativa de criar essa sociedade aportando valores e convidando os bancos à fazerem parte da mesma, dentre o Sicoob, Sicredi e as próprias Prefeituras Municipais que fizeram os aportes financeiros. Todas as pessoas jurídicas que não estejam inadimplentes que sejam comerciantes de produtos ou serviços podem contar com esse serviço.

Compartilhe esta reportagem...Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Print this page


Comentários: