Geral

Solidariedade

Imagem Ilustrativa

Imagem Ilustrativa

Em meio a uma sociedade tradicionalista e conservadora que nos cerca, temos inúmeras atitudes de cunho solidário que mostram o outro lado da brasilidade contemporânea. São Mateus do Sul não é diferente, convivemos em uma realidade que as ações voluntárias sustentam instituições, movem campanhas e salvam vidas. Talvez, e muitos podem ver por este lado, a responsabilidade seria dos órgãos governamentais regentes em nosso município, concordo, porém o que seriam destas ações e instituições sem a colaboração do povo? Pois afirmo, o poder público não passa de um mantenedor do poder e o faz como quer.

Ações como: bingos beneficentes, bazares, jantares, almoços, ações entre amigos, torneios de futebol, enfim, uma infinidade de eventos são promovidos semanalmente em prol a campanhas de ajudar pessoas necessitadas, seja por doenças ou necessidades extremas. Sito também as instituições de nosso município que para sobreviverem dependem das mesmas ações. Graças a atitudes de diversos são-mateuenses em colaborar com tais ideais, o poder executivo, legislativo e inclusive o judiciário encurtam suas obrigações. Obviamente, existem milhares de justificativas e provéns, mas a realidade é esta e nos é mostrada em todos os momentos.

Um tratamento de câncer, direito assegurado por lei, por exemplo, dá direitos aos cidadãos brasileiros e mesmo assim são negados pelo estado e entenda estado como o todo em uma sociedade. Com isso as famílias e a comunidade, necessitam prover promoções a fim de arrecadar capital para que se possam suprir as necessidades quase que incalculáveis para dar o direito ao cidadão em viver. Não é meu objetivo ironizar estas atitudes e sim enaltece-las. Ao longo de anos atuando em diversos setores da sociedade, chego a singela conclusão de que a Solidariedade é primordial e necessária para o funcionamento de uma rede de prestação de serviços aos munícipes.

E se não fosse assim? Ajudem-me a analisar a situação. Teriam sobrevivido as várias pessoas que talvez até tenham recorrido ao seu direito através de caminhos legais de garantia de direitos? Teriam as famílias que lutam juntos, arcado com as despesas? Quanto às instituições, o estado teria suprido a necessidade de atendimento especializado, criando e sustentando as diversas entidades existentes em nosso município? De fato, analisem esses questionamentos a fim de chegar a suas próprias conclusões. Minha humilde opinião diz não, e tem embasamento teórico e prático consolidado no decorrer de anos.

A Solidariedade não pode ser medida, mas pode ser vista a “olho nu”, não tente ludibria-la ou ludibriar a comunidade, pois lhes garanto que a mesma está apta a desvendar os charlatões disfarçados de bons samaritanos que elencam seus interesses como prioridades e apoiam-se à causas e ou instituições para suprirem seu status.

A cada dia, a cada semana, é e será um prazer convivermos juntos nas entrelinhas poéticas e satíricas… Porém sinceras e baseadas em fatos e não causos, do Ponto de Vista com Alexandre Müller. Boa semana amigos leitores.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Bingo beneficente em prol de são-mateuense com câncer está sendo organizado
Caminhoneiro morto carbonizado em acidente da BR-476 é identificado
Pagamento para a segunda parcela do IPVA inicia nesta segunda-feira (19)