Artigo de Opinião

Somos animais viajantes, de corpo e mente

Migração de borboletas. (Imagem Ilustrativa)

Viajar é um dos maiores privilégios dos seres vivos. Não só os humanos, mas outros mamíferos, aves, peixes, anfíbios e insetos também usam desse ato para revitalizar a sua vida.

Vamos focar agora na migração dos animais e entender a naturalidade desses trajetos em seu ciclo de vida. A migração é ocasionada por diversos motivos, como a adequação de temperatura e estação do ano do local, incluindo chuvas, secas, busca de alimentos e procriação.

Os métodos utilizados para as migrações variam de acordo com as características dos bandos de animais: uns optam por percursos na água, outros usam da terra ou do ar para encontrar seu destino. Há quem diga que muitos seres aguçam sua localização através da observação de mares, montanhas e direção do sol e estrelas.

Um elefante por exemplo, caminha mais de 480 quilômetros para ir em busca de alimento e água; já as baleias (o mamífero que mais migra), realiza um trajeto de cerca de 20 mil quilômetros, entre idas e vindas, em busca da temperatura ideal da água.

Você sabia que as borboletas também migram? Em estudo elaborado por cientistas, as milhões de borboletas que vivem no leste da América do Norte migram até 2.400 quilômetros para as florestas vulcânicas no México para passar o inverno.

Viajando sempre em bando, os animais fazem da ideia de conjunto uma maneira de proteção para evitar possíveis predadores.

E nós, seres vivos e humanos, viajamos com que frequência? Pode até parecer loucura, mas na atualidade, existe muitas pessoas viajando com esse mesmo objetivo dos animais: sobrevivência.

É só acompanhar noticiários e perceber que muitos imigrantes fazem dessas idas uma esperança de não dar de cara com os “predadores” armados com unhas, dentes e pistolas.

Claro, é difícil enfrentar uma realidade distinta e perceber como é o cotidiano de outra cultura. Mas tudo isso faz parte do ciclo da evolução de uma vida que muitas vezes encontrou nessa oportunidade a última esperança para simplesmente resistir.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
As eleições estão aí e eu não sei em quem votar. E agora?
Não é todo mundo
Reparamos demais nos outros e esquecemos da gente