Histórias de Terra e Céu

Somos filhos das estrelas!

(Foto: Divulgação)

Na última semana encerrei nosso bate-papo dizendo que somos poeiras de estrelas. E disse isso copiando o grande astrônomo Carl Sagan, que há muito tempo citava a nossa origem estelar. Vamos explicar um pouco disso hoje.

Muitas pessoas acham que as estrelas são bolas de fogo. Na verdade, todos estes pontos brilhantes que vemos no céu são esferas de gás, compostas principalmente por hidrogênio e que, ao longo de suas vidas, vão transformando este hidrogênio em elementos mais pesados. As estrelas nascem de nebulosas e, em sua vida normal (que chamamos de “sequência principal”), têm a coloração azul quando são “bebês”. Com o passar do tempo elas ficam brancas e depois amarelas (como o nosso Sol, que está na metade de sua vida). Ao envelhecerem ainda mais, ficarão laranjas e por fim vermelhas, um pouco antes de suas mortes trágicas.

Se você sair para rua nesta noite, em um local bem escuro, irá notar que as estrelas têm cores diferentes. Verá algumas destas “idosas” alaranjadas ou avermelhadas. A morte das estrelas pode ocorrer de mais de uma forma, mas na nossa conversa de hoje nos interessa falar sobre o fim da vida de estrelas supermassivas, que morrem em uma explosão estelar chamada supernova. Uma supernova pode brilhar bilhões de vezes mais do que o Sol, chegando até a ofuscar o brilho da galáxia inteira! A estrela marcada na foto que ilustra esta coluna é Betelgeuse e fica na constelação do Órion, próximo das Três Marias. Sua cor avermelhada indica que está no final de sua vida, e em algum momento explodirá como uma supernova.

Mas que relação a supernova tem com você? Bom, é neste momento explosivo que a estrela espalha pelo Universo os elementos que ela formou durante sua vida, alguns leves (como o hélio) e outros mais pesados (como o carbono, o ferro e outros tantos). Estes elementos não são gerados aqui em nosso planeta! Vieram das estrelas… Então, o ferro que existe em seu sangue, o carbono que compõe o seu corpo e tantos outros elementos que preenchem o nosso organismo foram fabricados em uma supernova que explodiu em algum canto do Universo, muito antes do Sol se formar. Depois estes elementos viajaram no espaço, se integraram à nuvem que comporia o Sistema Solar, e vieram parar na Terra, tornando-se a matéria-prima divina para formar você, eu e todos os demais seres vivos. Se você é religioso, já deve ter ouvido a citação bíblica “és pó e ao pó voltarás”. É uma grande verdade: somos pó de estrelas com a missão de conhecer e povoar o Universo! Então, amigo leitor, quando olhar para o céu nesta noite, lembre-se que estas estrelas fazem parte da sua família!

Na próxima semana explicarei para você como a Astronomia define o momento do ano em que você comerá mais chocolates… Se você duvida que a astronomia faz isso com você, aguarde!

Até a próxima semana e céus limpos para todos nós!

Gerson Cesar Souza
Astrônomo Amador
gersoncesarsouza@gmail.com

colunistas_gerson_menor

Gerson Cesar Souza
Últimos posts por Gerson Cesar Souza (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Noites do Caçador
O Nazismo e a Matriz – Parte I
Lua e chocolates…