Cidade

Suspensão temporária: lay-off afastará 57 funcionários da Incepa em São Mateus do Sul

Empresa de revestimentos cerâmicos opta pela suspensão na unidade do município, nesta sexta-feira (15). Entenda os motivos! (Foto: Thaís Siqueira/Gazeta Informativa)

A Incepa Revestimentos Cerâmicos está iniciando o terceiro lay-off na fábrica de São Mateus do Sul. Este regime de suspensão temporária do contrato de trabalho já foi utilizado no ano de 2016 na unidade.

O lay-off é uma das alternativas previstas em lei que permite à empresa manter funcionários afastados das atividades, remunerados por um período máximo de cinco meses, enquanto participam de capacitação profissional oferecida pela empresa. “Neste momento, com as vendas no segmento de revestimento cerâmico ainda em baixa, consideramos que é a melhor maneira para equilibrar a produção à demanda do mercado, sem aumento de estoque e preservando os postos de trabalho”, relata o presidente da Incepa, Celso Cavalli.

Os funcionários iniciarão o lay-off nesta sexta-feira (15). O regime pode ter a duração máxima de cinco meses, podendo ser cancelado em momento oportuno, desde que se cumpram o mínimo de dois meses com a medida.

“Constantemente a empresa está analisando as demandas do mercado. Esses estudos apontaram a necessidade de reduzir a produção na unidade de São Mateus do Sul, paralisando uma das linhas de produção da fábrica. O número de colaboradores participantes do lay-off está relacionado a equipe até então necessária para a manutenção das atividades na linha que não estará em funcionamento”, informa Cavalli.

Durante o período de lay-off, os 57 funcionários participarão de 60 horas mensais de qualificação profissional, ofertadas pela Incepa em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). Os temas do curso são relacionados às atividades desempenhadas pelo grupo na empresa, como processos produtivos da cerâmica, gestão da qualidade, manutenção mecânica e elétrica, saúde e segurança do trabalho entre outros temas. “Estamos complementando suas formações, oportunizando crescimento pessoal e profissional”, ressalta o presidente.

A unidade de São Mateus do Sul possui quatro linhas de produção, uma delas paralisada desde novembro de 2015. Somada a parada que está iniciando, a fábrica irá operar nos próximos meses com 50% de sua capacidade. A retomada da produção está atrelada a melhora econômica, que é esperada em 2018.

“A indústria continua sentindo os impactos da grave crise econômica e instabilidade política no país. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou, no início do mês, que a construção civil retraiu 7% no segundo trimestre deste ano, em comparação com o mesmo período do último ano. São 13 trimestres seguidos de queda. A Abramat (Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Construção) aponta que as lojas de materiais de construção tiveram 7,1% de quedas nas vendas no primeiro semestre de 2017 comparado a 2016. Esses números nos fazem buscar as melhores opções para equilibrar os estoques, ajustar a produção, e principalmente, preservar o quadro de colaboradores. Estas medidas estão preparando a companhia para o ano de 2018, quando esperamos o início da retomada das vendas”, encerra Celso Cavalli.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Moradora de São Mateus do Sul necessita de doação de sangue
Prefeitura abre processo licitatório para contratação de empresa que realize Concurso Público
Dentista Cesar Pantarotto Sanches morre vítima de infarto