O teatro campal que encenou a Paixão de Cristo contou com a participação voluntária de membros das comunidades da Colônia Iguaçu, Vila Americana e Parque das Tamareiras. (Fotos: Cláudia Burdzinski/Gazeta Informativa)

As celebrações de Páscoa emocionaram religiosos em São Mateus do Sul. Na Sexta-feira Santa, celebrada no dia 19 de abril, a Paróquia Nossa Senhora Aparecida e Czestochowa realizou a tradicional procissão que saiu das dependências da Paróquia – localizada na Vila Nepomuceno –, caminhando até a Colônia Iguaçu, local que estaria sendo realizado o teatro campal de encenação da Paixão de Cristo.

A procissão que caminhou entre a Vila Nepomuceno, BR-476 e Vila Americana e Colônia Iguaçu, seguiu com centenas de fiéis, que acompanharam as homenagens prestadas para as imagens de Cristo Morto e Nossa Senhora das Dores durante a via-sacra. Reunindo-se no Centro Polônico Marcelo Janowski (CEPOM), os fiéis seguiram para o tradicional teatro campal – que é realizado voluntariamente desde 2011 pela comunidade –, que era gratuito e contava com a colaboração voluntária de 1kg de alimento que será revertido para famílias em situação de vulnerabilidade em São Mateus do Sul.

Segundo a organização do teatro, o empenho de todos foi fundamental para a realização da apresentação. “Em especial na sexta-feira, desde cedo várias pessoas comparecendo para ajudar e o público que a cada ano aumenta. Também, sempre aparecem os contratempos e imprevistos. Ás vezes as cenas ou falas não saem como esperado, mas mesmo no improviso deu tudo certo”, destaca a equipe, que reforça que o teatro é sempre um aprendizado diante das dificuldades e necessidades. “A fé e a amizade se tornaram maiores que qualquer desafio. A empolgação e a dedicação das crianças e idosos que trabalharam com dedicação e no final os aplausos do público e elogios é o que mais nos motiva para continuar o trabalho”, destacam.

Mais de 60 pessoas colaboraram com o teatro, desde personagens na encenação à montagem do cenário e organização dos bastidores. “Sempre temos novos atores e pessoas que vêm ajudar. A grande maioria dos atores já participam do teatro, mas sempre são bem-vindos novos componentes e pessoas para ajudar. É necessário uma grande quantidade de pessoas envolvidas”, garantem.

Os organizadores comentam que montar uma peça de teatro, mesmo sendo amadora, é bastante trabalhosa. “No final sempre é um alívio ver que tudo correu bem e a maior motivação são os aplausos. Montar a peça, ensaiar, montar os figurinos e cenários faz com que o tempo sempre pareça curto, e a cada ano procuramos melhorar e fazer cenas diferentes para não ficar algo repetitivo, uma parte que dá muito trabalho, mas com a soma de pessoas que foram ajudar, tudo ficou mais fácil”, expressam. A organização agradece todos que estavam envolvidos com a peça teatral, desde os participantes do espetáculo ao público que prestigiou o momento preparado com muito carinho por todos eles.

Estudante de Jornalismo que adora escrever e conhecer um pouco sobre a vida e a história de cada pessoa envolvida. Preza pela essência que é repassada na produção de cada matéria, valoriza os pequenos gestos e apoia o ativismo ambiental. E-mail para contato: claudia@gazetainformativa.com.br

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Festa em Louvor a Nossa Senhora da Luz acontece em Tijuco Preto
A história da igreja ucraniana Sagrada Família de São Mateus do Sul
Teatro campal da Paixão de Cristo será realizado na Colônia Iguaçu sexta-feira (19)

Deixe seu comentário

*