Histórias de Terra e Céu

Tesouros no Quintal

Imagem Ilustrativa

Imagem Ilustrativa

A astronomia moderna a cada semana nos surpreende com novas descobertas. São nebulosas, buracos negros, exoplanetas etc… Mas geralmente estas descobertas concentram-se longe da nossa “casa”, em cantos distantes da nossa galáxia, ou até em outras galáxias. Mas nesta semana, duas descobertas dentro do nosso Sistema Solar, mostraram que nosso quintal também tem tesouros escondidos. Embarque comigo nesta história!

Desde a descoberta de Sedna e Éris, há uma década, tornou-se um consenso entre os astrônomos que haviam vários pequenos corpos após a órbita de Plutão. Foi inclusive por isso que Plutão deixou de ser considerado um planeta, passando a ser chamado de planeta-anão, assim como estes outros corpos. E nesta semana, a família dos anões ganhou mais um membro.

Usando o telescópio japonês Subaru, astrônomos localizaram um planetoide de 500 a 800 quilômetros de diâmetro, situado a 15 bilhões de quilômetros do Sol (três vezes mais distante do que Plutão!). O objeto foi batizado de V774104. A órbita deste novo “vizinho” ainda está sendo calculada, mas estima-se que ele leve cerca de mil anos para dar uma volta completa ao redor do Sol. E, ao que tudo indica, esta órbita maluca cruza com a de Netuno em algum momento. Os astrônomos que o descobriram já avisaram que existem mais doze pequenos astros que podem ser confirmados em breve, também, como planetas-anões.

Mas se esta novidade já seria bastante para agitar a astronomia nesta semana, a confirmação de outra descoberta foi ainda mais comentada. Em 1772 o matemático francês Joseph-Louis Lagrange previu que havia cinco pontos na órbita de planetas que poderiam prender indefinidamente objetos menores. Anos mais tarde os astrônomos identificaram asteroides presos nestes locais (chamados pontos Lagrange) nas órbitas de Marte, Júpiter e Netuno. Estes asteroides ganharam o nome de “troianos”. E sempre houve a dúvida se a Terra também teria um ou mais troianos.

Agora, utilizando o telescópio espacial Wise, cientistas americanos detectaram um pequeno asteroide que acompanha a Terra, preso ao ponto L2 da órbita do nosso planeta. O objeto foi chamado de 2010 TK7, tem apenas 300 metros de diâmetro, e se localiza a 80 milhões de quilômetros da Terra. Pelo fato da gravidade lhe prender em um ponto Lagrange, não há chance deste objeto colidir com nosso planeta azul.

Vamos seguir olhando o espaço distante, sem esquecer de procurar os tesouros que estão escondidos no nosso quintal.

Até a próxima semana e céus limpos para todos nós!

Gerson Cesar Souza
Últimos posts por Gerson Cesar Souza (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
A Professora Negra, uma lição de vida!
Os Justen e o Hino perdido
A beleza do inferno…