A ação busca verificar a condição das árvores consideradas com risco de queda na área urbana. (Foto: Assessoria Prefeitura Municipal)

O Plano Diretor Participativo de Arborização de São Mateus do Sul, que está sendo realizado no município desde 2015, está em fase final. Nas últimas semanas, o engenheiro florestal e um dos coordenadores do plano, Ciro Duarte, está realizando as tomografias das árvores, que analisa se há ou não o risco de queda.

De acordo com Ciro, a tomografia da árvore aponta os danos causados por poda de raízes e pavimentação da área livre. Para compreender melhor como funciona o processo de tomografia, que é realizado com o tomógrafo vindo diretamente da Alemanha, Ciro disponibiliza um material didático de análise de uma árvore Jacaranda mimosifolia, encontrada no município durante a etapa de análise de risco de queda. “A porção em vermelho e laranja (conforme imagem ao lado) representa a parte da madeira que está em processo de apodrecimento, exatamente na mesma área em que foi realizada a poda de raiz. É preciso cuidar de nossas grandes árvores, a ação de um dia pode causar danos irreversíveis ao patrimônio arbóreo de uma cidade”, enfatiza Ciro.

Análise da árvore Jacaranda mimosifolia, encontrada no município durante a etapa de análise de risco de queda de árvores. (Acervo Ciro Duarte)

A análise aconteceu nas árvores que estão no inventário consideradas com risco de queda. Com a tomografia, foi possível verificar se a árvore pode permanecer nos locais catalogados ou se há a necessidade de retirada imediata para evitar maiores danos. O engenheiro explica que aparentemente as árvores podem parecerem saudáveis, mas só com a análise através do tomógrafo é possível verificar as reais condições de suas estruturas.

O projeto de arborização é uma cooperação técnica entre a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) e a Prefeitura de São Mateus do Sul, com a coordenação dos professores Flávia Brun, Eleandro Brun, e supervisão e execução do engenheiro florestal Ciro.

Uma das árvores que possui risco de queda. A análise do inventário já determinou o corte dela por características fitossanitárias (cupim, brocas e podridão), bifurcação a 40 cm de altura, histórico de poda de raÍzes e danos na base do tronco. (Foto: Thaís Siqueira/Gazeta Informativa)

Flávia explica que o município de São Mateus do Sul é o primeiro do Brasil a contar com um plano completo de arborização, onde a população pôde participar e colaborar com opiniões sobre espécies de árvores nativas. “Esse projeto vem de encontro com uma qualidade de vida pois a cidade será a única do país com um inventário completo das árvores”, destaca a professora.

A finalização do projeto será apresentada nas próximas semanas, com data ainda a ser definida, e a Gazeta Informativa realizará uma matéria completa sobre toda a execução realizada e dados encontrados no município.

Cláudia Burdzinski

Cláudia Burdzinski

Estudante de Jornalismo que adora escrever e conhecer um pouco sobre a vida e a história de cada pessoa envolvida. Preza pela essência que é repassada na produção de cada matéria, valoriza os pequenos gestos e apoia o ativismo ambiental. E-mail para contato: claudia@gazetainformativa.com.br
Cláudia Burdzinski

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Estudos técnicos para arborização urbana em São Mateus do Sul são retomados
Prefeitura cogita criar ‘consórcio’ para expedição de licenças ambientais
MPPR realiza ação para proteção do Faxinal do Emboque

Deixe seu comentário

*