(Fotos: Rafael Guedes)

Por Razões Para Acreditar

Mais plásticos nos mares do que peixes até 2050. Essa é a estimativa do Fórum Econômico Mundial se nada for feito antes disso pela proteção dos oceanos. A cerveja Corona está fazendo a sua parte e uma de suas iniciativas mais recentes é o Torneio de Pesca de Plástico. Isso mesmo, você não leu errado!

Na sexta-feira (18), em comemoração ao Dia Mundial da Reciclagem, a Corona revela os resultados da primeira edição do projeto no Brasil e em outros países como China, Israel e México – este foi, inclusive, o lugar onde nasceu essa ideia, em 2021.

O projeto faz parte de uma iniciativa realizada em todo o mundo em parceria com pescadores locais pela retirada de plástico do mar, conscientizando a sociedade sobre a poluição marinha, protegendo o meio ambiente e beneficiando economicamente as comunidades envolvidas. Globalmente, o Torneio de Pesca de Plástico contou com a ajuda de 150 pescadores durante 15 horas, retirando mais de 5 toneladas de plástico do mar até agora.

Por aqui, a ação aconteceu no mês de fevereiro em Caraguatatuba, no litoral norte de São Paulo, com o apoio da ONG Guardiões do Mar e a participação de 55 pescadores – em um único dia, mais de 1 tonelada de resíduos que prejudicam a vida marinha foram retirados do mar, sendo metade só de plástico. É isso mesmo, 500 quilos de plástico!

A iniciativa reafirmou o compromisso de longa data da cerveja da Ambev pela proteção dos oceanos contra a poluição gerada pelo plástico, além de beneficiar os pescadores da região, que fizeram dessa “pesca inusitada” um sucesso em sustentabilidade.

Além de uma premiação em dinheiro para as três equipes que retiraram a maior quantidade de resíduos da água, o torneio também remunerou todos os pescadores participantes com o equivalente a um dia de trabalho e pagou o valor adicional por cada quilo de plástico coletado – além da conscientização sobre os perigos da poluição plástica na vida marinha, agora a coleta de plástico também pode se tornar uma fonte de renda extra a longo prazo para os pescadores. Corona ainda vai reformar o principal galpão local, usado pela comunidade da Praia da Cocanha como centro cultural e depósito para os barcos e demais ferramentas de trabalho dos pescadores.

“A poluição dos oceanos em todo o mundo é alarmante e Corona continua buscando formas de expandir seus esforços pela proteção e preservação desses paraísos naturais, pelo Brasil e mundo”, conta João Pedro Zattar, head de marketing de Corona.

“O Torneio de Pesca de Plástico é um exemplo de iniciativa que une as comunidades para ajudar o meio ambiente e ainda apoia economicamente as regiões, em parceria com trabalhadores que sustentam suas famílias a partir da pesca”, complementa.

O projeto nasceu a partir de um desafio interno de inovação de responsabilidade social corporativa, que foi testado pela primeira vez no México em 2021 e agora se expandiu para países como Brasil e China e, ainda esse ano deve passar pela Colômbia e África do Sul. Globalmente, o Torneio de Pesca de Plástico contou com a ajuda de 150 pescadores durante 15 horas, retirando mais de 5 toneladas de plástico do mar. Até o momento, a cerveja Corona realizou mais de 1.400 limpezas, engajou mais de 68.000 voluntários e coletou resíduos plásticos de mais de 44 milhões de metros quadrados de praia em todo o mundo.

Histórico de ações sustentáveis no Brasil

O Torneio de Pesca de Plástico não é o primeiro projeto ligado à sustentabilidade liderado por Corona, que também foi a primeira marca global de bebidas a se tornar neutra em resíduos plásticos – além dessa iniciativa, no Brasil já foram realizadas mais de 25 limpezas desde 2019, limpando 1,2 milhão de m² de praias e recolhendo mais de 5,4 toneladas de lixo descartados de forma irregular na natureza.

Em parceria com a Green Mining e a Precious Plastic, a cerveja ainda abriu em 2021 ano as estações Protect Paradise, com dois containers instalados em Fernando de Noronha (PE) e Trancoso (BA) para coleta, reciclagem e transformação de plástico, cada uma com capacidade para processar até 1,5 tonelada de plástico por mês. Esse mesmo projeto também tem atualmente uma vertente voltada à coleta e reciclagem de vidro na Chapada dos Veadeiros (GO), atendendo estabelecimentos e população locais para dar o destino correto ao material e evitar a poluição da natureza.

Em maio do ano passado, a Corona também foi anunciada oficialmente como um dos patrocinadores de Voz dos Oceanos, a nova expedição dos velejadores da Família Schurmann que, durante dois anos, vai atuar para dar visibilidade à causa da poluição marítima, especialmente em decorrência do plástico.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
“Aprendi a valorizar a minha vida depois que tive câncer”
Chilli Beans lança linha de óculos feitos de lixo reciclado dos oceanos
III Mostra de Folclore encanta o público e mobiliza a cidade