Cidade

Tricotando o amor ao próximo no Lar dos Velhinhos do Rio Azul

Moradores do Lar dos Velhinhos do Rio Azul e as voluntárias do Grupo Oficina de Artes do Colégio Duque de Caxias na entrega dos gorros. (Foto: Acervo Pessoal)

Neste ano, o Grupo Oficina de Artes do Colégio Duque de Caxias, além de ensinar o tricô para quem tem interesse está atuando com ações voluntárias e sociais de confecções de produtos para instituições beneficentes e que necessitem desta doação material e de tempo. A primeira realização social foi em junho com a finalização de 50 toucas que foram doadas para a rede feminina de câncer do Hospital Erasto Gaertner em Curitiba.

Mas a mobilização dessa vez foi para o Lar dos Velhinhos do Rio Azul, uma instituição filantrópica, fundada em 14 de julho de 1984, que hoje conta com idosos vindos de 12 municípios, dentre eles São Mateus do Sul.

Confeccionando toucas com fios e lãs doados pela empresa Linhas Círculo S/A de Gaspar – Santa Catarina para os 32 idosos que lá residem, o grupo além de levar estes presentes, transformou a tarde de todos na demonstração de carinho, conversa, e principalmente fazer das horas que lá passaram um diferencial na vida dos moradores.

Helena Karazawa, Vera Lúcia Fernandes, Edith Vilela Alves, Pâmela Alves Musialak, Maria Luiza Bortolon, Verena F. H. Novicki, Roseli Trompczinski, Maria Edeli G. de Paula, Cacilda Wodiane e Clairê Kovalski foram na tarde, do dia 16 de agosto, levar os presentes confeccionados por elas e algumas guloseimas para os moradores.

“Nós da Oficina de Artes do Colégio Estadual Duque de Caxias nos sentimos gratificadas por termos conhecido uma instituição que ampara e respeita a individualidade do idoso. Levamos solidariedade e carinho na confecção e doação dos gorros, mas trouxemos muito mais alegria, satisfação, experiência, reflexões e a certeza de que o nosso pouco tempo e atenção lhes fez bem. Em nome do grupo, agradeço o Talbian (coordenador da instituição) e Robson (assistente social) e a todos os funcionários que nos receberam com atenção. É muito bonito a dedicação e empenho para manter a instituição, com um tratamento digno e carinhoso dado a cada idoso residente do Lar”, agradece Clairê Kovalski.

O envelhecimento é um processo constante pelo qual todos nós passamos continuamente, mas a principal condição para adquirir um envelhecer sentindo-se capaz de compartilhar carinho, atenção e amor é buscar em nossa vida cotidiana gestos que nos tragam para o verdadeiro sentido de viver, precisamos estar cientes que indiferente de idade, toda vida é uma vida e a demonstração deste carinho foi compreendido da melhor maneiro possível pelo grupo Oficina de Artes do Colégio Duque de Caxias.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Palestra com promotora esclarecerá direitos das mulheres
Melhora no desenvolvimento do ensino do campo é destaque na Oficina do Plano Diretor na Água Branca
109 anos: São Mateus do Sul contará com diversas atrações em comemoração ao seu aniversário