Histórias de Terra e Céu

Ucranianos, Polacos e os Marimbondos de Fogo

Durante as nossas conversas neste espaço já tive a oportunidade de falar das brigas de polacos contra brasileiros, contra alemães e até contra outros polacos. Mas nunca citamos a relação dos polacos com os ucranianos. Talvez até porque a imigração de ucranianos para São Mateus do Sul não chegou a ser expressiva. Então, para abordar mais essa encrenca, peço licença a vocês para darmos um pulo até a nossa vizinha Antônio Olinto. Embarque comigo nesta história!

A imigração polaca em São Mateus teve a primeira fase em 1890-91, quando se instalaram as cinco colônias da cidade, basicamente com imigrantes vindos do Reino da Polônia (parte da Polônia dominada pela Rússia). A segunda fase ocorreria em 1895-96, com uma nova leva de polacos, desta vez vindos da Galícia (dominada pela Áustria). Com estes imigrantes viriam também outros galicianos, da região da Ucrânia. Em outubro de 1895 era formada a colônia Antônio Olinto, com ucranianos e polacos.

Apesar de serem vizinhos na Europa, serem católicos fervorosos e compartilharem alguns costumes, polacos e ucranianos não morriam de amor uns pelos outros. E uma das grandes diferenças estava no rito católico que seguiam. A pequena capelinha dedicada a São José (8x12m) era partilhada por polacos e ucranianos, que precisavam rezar em horários diferentes, visto que suas missas eram muito distintas. Era uma afronta para os ucranianos não terem a própria capela, ainda mais que eles eram a maioria (na localidade, em 1896, havia 350 famílias ucranianas e apenas 70 polacas).

Assim, em 1904 os ucranianos começaram a construção da sua obra de arte: a igreja de Nossa Senhora da Imaculada Conceição. Durante a obra, por muitas vezes rezaram missas campais na comunidade. Era melhor fazer isso do que dividir a igreja de São José com os polacos. Em 15 de agosto de 1911 o padre local foi assassinado (espancado, enforcado e tentaram jogar seu corpo no poço). A capela São José passaria a ser atendida pelos padres polacos da Água Branca, enquanto a igreja ucraniana teria seu próprio padre. Um destes padres polacos deu início à construção de uma nova capela (foto), maior que a primeira, que seria inaugurada em agosto de 1924. Os ucranianos construíam e ornamentavam sua igreja em um local, e os polacos respondiam no outro.

Em 1942 já era notório que os ucranianos tinham “vencido” a “competição”. A igreja deles (que só ficaria totalmente pronta em 1977) já era lindíssima. Foi quando um enxame de marimbondos se instalou na capela dos polacos. Era véspera do dia de São João, quando a igreja certamente estaria lotada, e o padre vicentino Aniceto Weiss sentiu que precisava fazer algo. Tentou expulsar os intrusos com uma tocha. Os marimbondos revidaram, e o padre, furioso, investiu novamente com mais violência. A tocha do padre acabou atingindo a parede da capela de madeira que, em poucos segundos, transformou-se numa grande fogueira de São João. Só se salvaram as imagens de São José e de Nossa Senhora. Agora eram os polacos que não tinham mais capela, enquanto seus irmãos-rivais ostentavam um belo templo.

Até a próxima semana e céus limpos para todos nós!

Gerson Cesar Souza
Últimos posts por Gerson Cesar Souza (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Um Asteroide enviado por Deus! Ou não?
Primeiro de Maio, dia do azar em São Mateus do Sul
Os Justen e o Hino perdido