Administração e Negócios

Um pouco sobre inflação

Imagem Ilustrativa

Imagem Ilustrativa

Quem frequenta o supermercado provavelmente já percebeu a variação presente nos preços dos produtos. De modo geral o que define essa variação é a capacidade econômica de oferta e demanda.

Ao aumento generalizado do nível dos preços dá-se o nome de inflação. Quando ocorre um período de crescimento econômico e aumento da capacidade de produção de bens e serviços, o mercado acaba recebendo um aumento de oferta de tudo que é produzido. Esse avanço econômico, além permitir maiores condições de oferta, faz com que a população, por conseguinte, tenha maiores condições de consumo, criando assim um cenário propício para o surgimento da inflação.

Mesmo com o crescimento econômico, o fato da população ter maiores condições de consumo faz com que o mercado demande uma maior produtividade desses bens e serviços, entretanto, pelo fato dos recursos e da capacidade produtiva continuarem sendo limitados, não acompanhando assim a tendência de consumo, a economia reage com o aumento dos preços para buscar equilíbrio entre a procura e oferta.

Dos diferentes tipos de inflação podemos destacar os dois mais conhecidos. A inflação de demanda, como o próprio nome sugere, é aquela que ocorre pelo excesso de demanda agregada em relação a capacidade de produção disponível. Ou seja, se uma empresa já está produzindo com pleno emprego de seus recursos, em seu limite máximo, e surge um aumento de procura para aquilo que está sendo produzido, ela eleva o preço de seus produtos para proporcionar novo equilíbrio.

Já na inflação de custos, o nível de demanda continua sendo o mesmo, entretanto, o custo dos recursos necessários para produção aumentam, o que faz a capacidade de oferta se deslocar proporcionalmente para trás, o que também acaba resultando no aumento dos preços. Aumento salarial e aumento do custo de matéria-prima são os principais causadores desse tipo de inflação.

Mesmo que ela ocorra de maneira generalizada em um ambiente econômico, seus efeitos atingem as pessoas ou famílias com intensidades diferentes, pois seus impactos dependem dos produtos que compõem a cesta de consumo de cada um.

Além da inflação generalizada, podemos observar a inflação de maneira individualizada em um produto específico por ocasião do aumento isolado do seu preço, como por exemplo, o tomate, a cebola, o milho, o trigo, entre outros. Geralmente elevados custos de produção associados a uma baixa capacidade de oferta permitem tal acontecimento.

No Brasil existem alguns indicadores de inflação que são utilizados para medir a variação dos preços e seus impactos na vida da população. Entre os mais conhecidos e utilizados estão o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) que é medido pelo IBGE e utilizado para indicar o custo de vida das famílias com renda mensal de 1 a 40 salários mínimos, e o IGP-M (Índice Geral de Preço de Mercado) que é medido e divulgado pela FGV e amplamente utilizado na correção dos preços dos aluguéis.

Nos encontramos na próxima edição! Bons Negócios.

Últimos posts por Eleandro Soares (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Empreendedorismo, uma ideia bem sucedida
Produto “estrela” ou “abacaxi”, qual deles predomina em sua empresa?
Gestão sustentável nas empresas