Organizado pelas redes sociais, a passeata em silêncio pediu o apoio do Governo do Paraná para a classe empresarial que vem passando dificuldade após a publicação do decreto estadual 6.983/2021, que proíbe o serviço comercial até o dia 8 de março, após o aumento significativo dos casos da covid-19 no país. (Fotos: Hugo Lopes Júnior/Gazeta Informativa)

Uma passeata silenciosa percorreu a distância entre a praça da Rodoviária e a Prefeitura Municipal de São Mateus do Sul, na manhã de quinta-feira, dia 4 de março, iniciando pontualmente às 10h.

Foi um protesto realizado principalmente por comerciantes e empresários, que pediam ao Governo do Estado que não prolongue o lockdown e tome medidas mais efetivas para o controle do Covid-19. Foram cerca de 90 pessoas vestidas de preto, que durante todo o tempo utilizaram a máscara de proteção facial e mantiveram um distanciamento seguro, ainda dando apoio a essa causa.

O ponto de encontro foi a Praça da Rodoviária.

A organização se deu pelas redes sociais e não foi iniciativa de nenhuma entidade representativa, sendo uma forma espontânea de protestar que acabou resultando nessa passeata, já que o sentimento é comum de quem teve que fechar as portas nesses dias e que luta para que seu comércio continue funcionando.

Uma parte das reivindicações é para que o governo estadual tenha um maior discernimento quanto as atitudes tomadas em relação a pandemia, que tome decisões mais pontuais e conheça melhor cada cidade e suas particularidades. Em nossa cidade, a esmagadora maioria do comércio e escritórios seguiram as recomendações sanitárias, restringindo o número de pessoas nos locais de atendimento, exigindo o uso de máscaras, disponibilizando álcool em gel e atendendo aos horários prescritos. Mesmo dessa forma, estão sendo penalizados mais uma vez.

Os comerciantes e empresários se solidarizam e lamentam as vidas perdidas, conscientes de que, na verdade, quase todos perderam alguém e por isso mesmo que exigem, por parte do governo, uma fiscalização mais rigorosa e com maiores punições para quem descumpre as normas de higiene e aglomerações. Além disso, consideram necessário que invistam o máximo possível nas vacinas, tendo isso como foco total. Apenas fechar a indústria e o comércio só agrava a situação da maioria, que ficará sem sustento. Depois de tanto tempo convivendo com a pandemia, as medidas devem ser realmente efetivas e com critérios objetivos.

Juntamente com outras passeatas que ocorrem por todo o Paraná, espera-se que os vereadores, deputados e prefeitos possam levar essas reinvindicações até o governador, para que as próximas medidas sejam realmente efetivas e tenham resultados para melhorar a vida e condições de todos.

Hugo Lopes Júnior
Últimos posts por Hugo Lopes Júnior (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Alistamento militar obrigatório deve ser feito diretamente pela internet
Prefeitura executa serviços de limpeza do Rio Canoas
Confira o horário do comércio são-mateuense para o fim de ano