Os Caminhos do Desenvolvimento

Uma essência visual

logo-ndeMuitos são os valores que norteiam a unidade de pessoas em torno de objetivos comuns. Muitos também são os desafios que acompanham a realização destes objetivos. Embora recente, o NDE – Núcleo de Desenvolvimento e Empreendedorismo – vem construindo uma base de princípios que acompanham as suas atividades desde o seu primeiro encontro. Tanto, que já pôde criar a sua identidade visual, que traz em seus elementos gráficos muitos dos conceitos que são a base para que o objetivo de construir uma São Mateus do Sul empreendedora seja alcançado.

A responsabilidade de transformar todo esse conjunto de ideias a uma forma gráfica passou pelas mãos da publicitária da CDL Renata Santana. Para Renata, “desenvolver qualquer elemento visual é sempre uma tarefa desafiadora, concentração pura de possibilidades e preocupações com uma pitada cruel de expectativa externa. Desde o início, era sabido que esta arte precisava ser especial, pois além de dosar as formas, cores e fontes, seria necessário acertar a mão na criatividade, para que o resultado fosse além de bonito, conceitualmente rico”. A publicitária fala da origem do Núcleo, quando a sociedade local despertou para a necessidade de fortalecer novas vocações econômicas, “foram apresentadas algumas alternativas até que uma delas conquistasse mais olhares e fosse enfim, considerada a identidade ideal, capaz de transparecer a essência do NDE que é de reestabelecer a esperança por um futuro melhor, planejado e consciente”, comenta.

 Um ponto de destaque caracterizado na logomarca é o princípio da continuidade. O Núcleo entende que as sequelas deixadas entre as administrações municipais pela falta de um projeto em longo prazo, são originadas por um município refém de planos de governo de quatro anos. Segundo Renata, “a marca escolhida possui fonte moderna com traços alongados que lembram continuidade, referindo-se aos trabalhos do núcleo que não podem parar, bem como os projetos que devem ser administrados continuamente ao transporem gestões”. As forças e a participação da sociedade civil organizada também foram representadas, “os elementos gráficos que compõe a logo formando um semicírculo podem ser interpretados de diferentes formas. Na primeira delas, remetem às origens do NDE quando os setores da sociedade foram segmentados em quatro grupos com focos específicos; na segunda, podem ser consideradas partes que contemplam as forças capazes de mudar a realidade do município, sendo elas a sociedade civil, as entidades e organizações, o poder público e o NDE, considerando ainda que por não ser um círculo completo, se manterá aberto a receber novos integrantes, somando esforços e potencializando os resultados”, finaliza.

Ingrid Ulbrich
Últimos posts por Ingrid Ulbrich (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
A vitalidade do capitalismo
“Laissez-faire”: a liberdade de empreender
Vereador: função, importância e os riscos ocultos ao desenvolvimento local