(Imagem Ilustrativa)

Uma pequena notícia, daquelas que passam despercebidas, foi vista como uma pequenina nota pela internet, mas que demonstra que muitos estão errados quanto a ideia de que os livros impressos estão com os dias contados.

“Um fenômeno acontece na França: depois que jovens entre 18 e 21 anos passaram a receber um vale-cultura no valor de 300 euros do governo, as vendas de livros dispararam. As livrarias comemoram e não é incomum ver os jovens saírem com vários livros debaixo dos braços”. E termina com a pergunta, “Já pensou algo assim por aqui?”.

ANÚNCIO

O grupo Amantes da Leitura entre suas aventuras procura divulgar a leitura, pela importância que tem na vida de todos e é cada vez mais importante nos dias atuais. O grupo mantém a venda de livros usados e novos, por um canal diferente, junto com aos amigos produtores, na Feira do Produtor e temos tido bons resultados com as vendas e as pessoas gostam muito de ver e de saber que tem bons livros com preços acessíveis. E mais, surgem boas conversas sobre os livros e autores, demonstrando que a paixão pela leitura é maior do que se imagina e ela contagia muitas pessoas.

Essa notícia sobre o vale-cultura na França é apenas uma das demonstrações de que os livros são caros, mesmo para países de primeiro mundo, mas que o prazer de se ter um livro impresso nas mãos continua grande, grande e importante para a formação cultural das pessoas, principalmente dos jovens. Na nossa barraca na Feira do Produtor, muitos pais pedem sugestões sobre como incentivar os filhos a lerem e sempre comentamos, que é preciso dar exemplo, que é preciso ter livros na mão dos jovens e principalmente, nunca usar a leitura como castigo. É uma grande satisfação em ver na Feira os pais levando as crianças junto, para passear e é muito gratificante ver os pequeninos pedindo para os pais comprarem um livrinho ou mesmo quando eles correm em direção aos livros infantis e saem agarrados a um livrinho, mas pra completar quando o pai chega pra comprar e pergunta quanto e no final ainda diz, “Então escolhe mais um filho (ou filha)”.

Outro dia, comentando sobre essa notícia, foi dito que no Brasil não é importante, mas sim o vale alimentação. É claro que estar com o estômago satisfeito é super importante, ninguém vai contestar algo assim, mas como diz a música, “A gente não quer só comida, a gente quer comida diversão e arte…” dos Titãs. E não vamos entrar no mérito de que a notícia se refere à França, um país de primeiro mundo, que tem muito dinheiro, que lá as coisas são diferentes e assim por diante. A fome é mais urgente que a cultura, sim claro que é. Mas, talvez seja a cultura que tenha feito a França um país de primeiro mundo, quem sabe as crianças pequenas indo a um teatro, indo assistir uma apresentação de uma orquestra sinfônica, passeando com a escola num museu, aprendendo música, aprendendo xadrez. Quem sabe por que a França tenha um museu chamado Louvre, cheio de coisas velhas é que fizeram deles primeiro mundo.

Que tal mudar o fundo partidário e destinar os recursos para um vale cultura? Creio que na nossa ingenuidade, esse seria um passo importante, sem dúvida nenhuma, para que a grande maioria começasse a sair da lista de vale alimentação e começasse a conquistar seus ganhos e com valores bem maiores, podendo decidir o que comer, onde estudar, onde passear.

Amantes da Leitura
Últimos posts por Amantes da Leitura (exibir todos)

Comentários

MATÉRIAS RELACIONADAS
Livros nacionais
O que faz um livro ser clássico?
100 anos da vírgula