Secretário durante reunião na Câmara no mês de maio de 2020. (Fotos: Reprodução da transmissão da Câmara)

No dia 26 de junho, certo paciente não foi transportado de União da Vitória para São Mateus do Sul por suspeita de Coronavírus. O requerimento de nº 074/2020, assinado pela vereadora Fernanda Sardanha, cita que o cidadão teria sido transferido para o Hospital Regional. A 6ª Regional de Saúde seria responsável pelo transporte, de acordo com as normas sanitárias, no retorno dele para o São Mateus do Sul.

Segundo a vereadora, para a família não importa quem é o responsável e sim que o paciente retorne e tenha a prestação do serviço público. “Teve que vim num carro próprio, particular da família, deitado no banco de trás”, denunciou. Frente a isso, a parlamentar solicitou detalhamento das responsabilidades e os motivos da inércia, das 14h às 20h, para a solução e atendimento em Saúde.

Para ela, supostamente a Regional falhou. Mas questionou o procedimento adotado pelo município. Nestes casos, qual a competência e os protocolos que incidem sobre este tipo de tratativa. A vereadora reafirmou a importância de realizar o transporte, dentro das prerrogativas e normas estabelecidas, mas condenando a ausência de um posicionamento. Cobrando esclarecimentos sobre estes fatos.

Justificativa da liderança

Jackson Machado, líder do prefeito Luiz Adyr Gonçalves Pereira na Câmara, disse que a falha foi da 6ª Regional. Ele afirmou que o setor de transporte da prefeitura fez a sua parte e que a competência seria do departamento estadual que, inclusive, se desculpou. Ele mencionou que o departamento iria encaminhar um ofício ‘assumindo o erro’, mas dispensado pelo secretário de Saúde, esta medida para a Casa de Leis.

O líder do prefeito reafirmou que não foi falha da administração. Ele ressaltou que o erro ocorreu e que se existe um veículo contratado especificamente para transporte de paciente com Covid-19, ou suspeita, que deve ser usado para isso. “Não sei só São Mateus, Antonio Olinto, Triunfo, seja o município que tiver, dos nove municípios aqui que são aqui da regional, da Amsulpar”, disse.

Justificando a ausência do transporte e reafirmando o trabalho da secretaria de Saúde, Jackson Machado até ‘incluiu’ outro município que não faz parte da 6ª Regional de Saúde e nem da Associação dos Municípios do Sul do Paraná (Amsulpar). Ao citar Triunfo, supostamente se referindo a São João do Triunfo, o parlamentar não se atentou ao fato de que a cidade vizinha está em outra regional e associação.

A falha da 6ª Regional acabou por estragar todo um trabalho, segundo ele. “Mas acontece, isso aconteceu”, lamentou. Se baseando na informação de que, justamente, com respaldo da 6ª Regional de Saúde, seria o destaque da região no combate ao Covid-19. Expondo a contradição, pelo transtorno causado à família e paciente, diante do transporte de retorno não realizado nem pelo município e nem pelo Estado.

A reportagem do GI tentou contato com Jackson Machado visando esclarecer a citação de São João do Triunfo em sua fala na Câmara, durante a sessão desta semana, que atribuiu a associação do município na Amsulpar. “Foi um equívoco. São João do Triunfo não faz parte da nossa Regional de Saúde”, esclareceu o líder do prefeito em resposta ao questionamento feito.

Sobre a sua fala relacionada à questão da ambulância e o paciente que retornou para São Mateus do Sul em carro próprio ele, também, se pronunciou. “Esse transporte foi contratado para todos os municípios da 6ª Regional de Saúde, e como se trata de um serviço novo, os municípios e a Regional estão se adaptando as regras definidas pela Central de Regulação do Estado do Paraná”, escreve Jackson Machado.

Regional e município

O chefe da 6ª Regional, Ricardo Krzyzanowski, respondeu as mensagens, mas sem entrar no debate sobre o assunto. “Cabe a Regional de Saúde fazer discussões técnicas e não adentrar a outras searas. Quem conhece o funcionamento de uma Regional de Saúde poderá tirar conclusões”, escreveu. Sem mais detalhes sobre o acontecido ou possíveis responsabilidades.

Por outro lado, o secretário de Saúde, Wagner Wolff, confirmou a existência de veículo para transportes de pessoas com Coronavírus ou suspeita. “Sim, o Governo Estadual contratou um transporte específico para pacientes suspeitos de infecção pelo novo coronavírus, para operar em todos os municípios da 6ª Regional de Saúde”, pontuou por meio de mensagem em resposta ao questionamento exposto.

Em seguida, o secretário detalhou que “houve uma divergência de informações entre as unidades. Quando esse paciente recebeu alta, imediatamente nós acionamos o transporte contratado pelo Governo Estadual. Perto das 17 horas, nós recebemos uma ligação de um familiar do paciente informando que ele ainda estava em União da Vitória”, explicou Wagner Wolff.

Busca de solução

“Eu mesmo liguei na Regional de Saúde para saber a razão pela qual não haviam trazido o paciente. Obtive a informação de que o transporte deveria ser acionado sim. Novamente o fizemos, e eles (Hospital Regional) fizeram a solicitação da ambulância junto à Central de Vagas. Às 20 horas, após nova ligação, eles informaram que a Central de Vagas não havia liberado a Ambulância, por se tratar de alta hospitalar”, acrescentou.

“Todas nossas ambulâncias estavam à disposição, e se tivéssemos recebido a informação de que a Ambulância não faz transporte de alta hospitalar logo no início da tarde, teríamos ido buscar o paciente imediatamente, como fazemos com todos que precisam. Tanto que no sábado pela manhã, esse mesmo paciente foi conduzido ao Pronto Atendimento com uma ambulância do Município”, complementou.

O secretário disse ainda que “a 6ª Regional de Saúde, após o episódio, esclareceu a todos em quais ocasiões a ambulância seria acionada”. Wagner Wolff mencionou a existência de veículos para o transporte de pacientes. “Reitero que hoje, nós temos cinco ambulâncias à disposição da população, todas elas próprias, nenhuma alugada, e atendemos a todos que precisam”.
Wagner Wolff ressaltou que é um momento delicado e de adaptação para todos. Os setores de Saúde têm se empenhado em ações para conter o avanço do Coronavírus e tratar pacientes do Covid-19. Contudo, há sim um acúmulo de trabalho e diversas situações novas que estão ocorrendo. Havendo sempre a dedicação e empenho da Regional e dos municípios, em todo este trabalho.

Sidnei Muran

Sidnei Muran

Jornalista (MTB 7597 DRT/PR), formado pelo Centro Universitário de União da Vitória (Uniuv), pós-graduado em História e Cultura pela Unespar – campus de União da Vitória e Licenciado em História pela Unespar – campus de União da Vitória.
Sidnei Muran

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Vereadores aprovam em primeira votação projeto de lei que abre crédito adicional suplementar de mais de R$ 900 mil no orçamento do município
Vereadores se preocupam com a possibilidade de perda de recurso para o município
Novo prefeito de São Mateus do Sul avalia cenário econômico e faz projeções