Parlamentares parabenizam prefeita eleita e desejam boa sorte na futura gestão. Fernanda Sardanha valoriza grupo
e destaca a busca de uma gestão coletiva e participativa.
(Imagem reproduzida a partir da transmissão feita pelo Facebook da Câmara de Vereadores)

No retorno ao trabalho presencial, após o surto de Covid-19 que interditou a Câmara de Vereadores na última semana de outubro, foi realizada a 37ª sessão ordinária nesta terça-feira (17/11). Na pauta projeto de emenda à Lei Orgânica 001/2020 para alterar e incluir dispositivos na Lei Orgânica Municipal (LOM), seguido de congratulações aos eleitos.

O artigo 1º altera o artigo 3º da LOM e regulamenta funções definidas entre Câmara e prefeitura. Citando a independência entre os poderes. O artigo 2º altera o 10º. “O poder legislativo é exercido pela Câmara municipal, composta por nove vereadores eleitos pelo sistema proporcional, pelo voto direto e secreto”. Isso regulamenta a permanência das nove atuais cadeiras existentes.

Também o artigo 3º da LOM prevê que qualquer alteração do número de vereadores deve ser feita por emenda à Lei Orgânica, até um ano antes das eleições, com base em dados populacionais e estimativa de impacto financeiro e orçamentário. O 4º dispositivo muda o 21º e veda qualquer gratificação de acréscimo ao subsídio (salário). A justificativa foi de alterar para deixar mais atual, sendo aprovada em 1ª votação.

A reunião teve os espaços de público lotados, mas com restrição de 30% da capacidade (Ato da Mesa 05/2020), tendo o retorno da transmissão no Facebook da Câmara. Sendo parte da sessão a leitura de um requerimento destinado ao Hospital e Maternidade Doutor Paulo Fortes referente ao caso de parto ocorrido em residência no mês passado. Isso porque a Câmara ficou por três semanas sem sessão.

A proposição, à época, era por esclarecimentos conforme a proponente, vereadora Fernanda Sardanha e que, segundo ela, já havia ciência do Hospital. A parlamentar solicitou que todos os requerimentos seus que foram ‘vetados pelo jurídico’ devido ao período eleitoral possam ser retomados. Segundo ela, ou da forma que estavam ou refeitos, mas mantendo o contexto referente aos mesmos.

Congratulações aos eleitos

O vereador Geraldo Altivir de Paula e Silva (Geraldinho) foi o primeiro em se pronunciar por um critério de rodízio adotado pelo presidente Nereu Dal Lago. “Temos que primeiro agradecer a vereadora Fernanda, que hoje é prefeita se elegeu, graças a Deus né Fernanda. Você sabe que era o sonho né, então eu peço a Deus e Jesus Cristo e toda vida Ele ilumine você e que você vai saber administrar”, disse.

Geraldinho aconselhou que a futura prefeita não se esqueça dos seus companheiros, apesar de ter sempre as decisões nas mãos. Trabalhando para trazer pessoas que eram contra, mas sem esquecer daqueles que sempre estiveram juntos com a vereadora na construção da sua candidatura. O parlamentar ressaltou e valorizou a coragem de cada pessoa que se colocou na disputa.

Marta Centa ressaltou a presença de público que lotou os espaços da plateia, limitado ao estabelecido na restrição. A vereadora ressaltou a disputa e parabenizou Fernanda Sardanha, destacando o bom entendimento e a democracia. Ela estendeu os cumprimentos a todos que participaram do pleito e colaboradores. “Desejo do fundo do coração que você, vereadora Fernanda, que você faça um excelente governo”, disse.

Segundo ela, existem coisas boas em todos os planos de governo e, a partir de então, desejando boa sorte, Marta Centa frisou que cada candidato colaborou com seu grupo, opinou certa discordância com o sistema de legenda e quociente, mas prevalecendo a Lei em vigor. Os vereadores que ganharam mandato na eleição tiveram a contribuição de todos da composição presente na agremiação partidária.

Mesmo tom adotado por Jackson Machado, reeleito para novo mandato. O vereador citou os eleitos e parabenizou a prefeita eleita. “Parabenizar a colega vereadora Fernanda, pela sua vitória. Foi uma eleição bem disputada. Agora tem o compromisso de cuidar do município durante quatro anos, uma boa sorte desejo para a senhora”, disse se dirigindo a futura chefe do executivo municipal.

“E eu fui alvo de vários ataques, também. Inclusive até alvo de denúncias que a gente graças a Deus tem a consciência tranquila, porque não deve nada. Mas infelizmente a vida pública é isso aí. Sempre vai existir este tipo de situações”, opinou Machado. O parlamentar citou o foco no trabalho e a busca de fazer sua campanha, apontada como difícil e pesada. Agradecendo à família pela ausência por conta do pleito.

Por sua vez, Julio Balkowski atribuiu a mudança ‘quase que por completo’ dos parlamentares para a próxima gestão à falta de resultados positivos da atual legislatura. Segundo ele, a sociedade acompanha os trabalhos mais de perto. “E eu falei várias vezes aqui na sessão, que nós íamos sair de cabeça baixa. Porque a Câmara pecou e eu não nego isso, falei já várias vezes. Nós pecamos”, opinou.

“A Câmara deixou de cumprir muitas vezes seu papel de representante do povo para atender anseios do executivo”, disse. Colocando sua opinião como alerta aos novos parlamentares a partir de 2021. Além disso, na visão do vereador, estar doente no período eleitoral foi um dos pontos que abalou sua campanha, liberado somente na última semana já desmotivado. Somando de grande número de candidato em sua região.

Fernanda Sardanha deixou agradecimentos ao seu grupo de trabalho, mas lamentou o que definiu como ‘crueldade na campanha’. Citando ataques à família e calúnias. Segundo ela, a população não merece isso. Contudo, ela destacou que seguiu firme e lutou para alcançar o resultado final. Valorizando os companheiros de caminhada e destacando seu vínculo com pessoas que ‘multiplicam o projeto’.

A vereadora disse acreditar numa gestão participativa e coletiva. Ser referindo à oposição e situação, Fernanda Sardanha brincou que ‘vai ter que tomar um pouco próprio veneno’, desde que a oposição seja inteligente e com argumentos. “Faz o governo crescer”. Ela, ainda parabenizou os eleitos e disse que estará formando o seu governo e lamentou o caso de Anderson Rosa, mas valorizando os votos a ele direcionados.

Visão legislativa

Geraldinho retomou a palavra e disse que após muitos anos de Câmara foi abandonado pelo prefeito Luiz Adyr, neste mandato. “Ele não cuidou de nós vereadores para nós trabalhar, não deixou nós trabalhar. Então não se culpe Júlio”, disse. Segundo ele, para um parlamentar trabalhar é necessário o apoio do prefeito, que no caso, o parlamentar alega não ter recebido da gestão.

Em seguida, Marta frisou o trabalho e condução de Nereu e o papel desempenhado por Miguel. Balkowski se retratou desculpando-se se sua fala anterior ofendeu alguém. Também parabenizou Fernanda Sardanha e destacou o auxílio ao longo da legislatura. Por sua vez, a parlamentar lamentou a falta de mulheres na nova composição, sem defender bandeira feminista, mas fazendo a reflexão sobre este fato.

Nereu repercutiu as eleições, se colocou à disposição, apesar de estar em lado oposto no pleito, para colaborar. Desejando sucesso para Fernanda Sardanha e afirmando que o prefeito, segundo uma conversa dele com Luiz Adyr, tem o mesmo pensamento – sem falar em nome do executivo – citando que a prefeitura estará aberta para que a nova prefeita possa iniciar a transição de governo.

O presidente lamentou a queda expressiva em sua votação, que o deixou sem entender, citando de que “é sinal que eu pequei em alguma coisa, população não perdoa mesmo e, assim mesmo, eu aceito o resultado”. Segundo ele, ‘a vida segue’ e ainda não pretende desistir da política. Disse que seguiu o regime interno e procurou o equilíbrio e pediu para que Julio Balkowski apontasse ‘onde pecou’.

Nesse contexto, Nereu solicitou que o colega de bancada pudesse apontar, até para ser bom ao próprio presidente, onde haveria interferência do executivo ou outras questões. Reafirmando seguir a lei e a orientação jurídica do advogado Wellington Alves Farias. “Procurei levar a Câmara dessa forma”, afirmou. Ao passo que disse que vai ‘sair de cabeça erguida’ do mandato.

Num gesto solidário ao vereador Julio, Nereu opinou que o colega, também, precisa sair de cabeça erguida por ter feito um trabalho correto e por ter conhecimento sobre a história e honestidade de Balkowski. De acordo com o presidente, na política às vezes se ganha e outras não. Ainda, mencionou que o mês de dezembro será intenso, em função da interdição e sessões suspensas à recuperar.

Sidnei Muran

Sidnei Muran

Jornalista (MTB 7597 DRT/PR), formado pelo Centro Universitário de União da Vitória (Uniuv), pós-graduado em História e Cultura pela Unespar – campus de União da Vitória e Licenciado em História pela Unespar – campus de União da Vitória.
Sidnei Muran

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Aprovada em 1ª votação a redução de subsídios do Executivo e Legislativo
Sessões solenes marcam diplomações dos novos prefeitos, vices e vereadores de São Mateus do Sul e de Antonio Olinto
Candidatos de Antônio Olinto e São João do Triunfo e propostas na Agricultura