Saúde

Vigilância Sanitária trabalha intensamente no combate à dengue em São Mateus do Sul

(A Vigilância Sanitária do município informou que foi encontrado apenas a larva e o mosquito transmissor da dengue, e não há nenhuma evidência de circulação do vírus. A ajuda e o apoio de toda população são indispensáveis para evitar que novos focos da dengue surjam. Foto: Divulgação))

A Vigilância Sanitária do município informou que foi encontrado apenas a larva e o mosquito transmissor da dengue, e não há nenhuma evidência de circulação do vírus. A ajuda e o apoio de toda população são indispensáveis para evitar que novos focos da dengue surjam. (Fotos: Divulgação)

Como já era esperado o Aedes Aegypti (Mosquito da Dengue), chegou em São Mateus do Sul, tendo em vista que nas cidades vizinhas já existem o mosquito há algum tempo e o Aedes Aegypti é considerado ‘caroneiro’, ou seja, ele vem junto com caminhões, pneus transportados, entre outras formas. “Aqui em São Mateus do Sul encontramos larvas do mosquito da dengue em um dos pontos estratégicos que é visitado a cada 15 dias por já ser considerado área propicia a criação do mosquito, este PE (ponto estratégico) é no centro, no pátio que é utilizado pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER) e pela Prefeitura Municipal onde existe um fluxo grande de caminhões e grande quantidade de pneus. Por ser feita a vistoria a cada 15 dias as larvas foram coletadas e analisadas microscopicamente em curto prazo, no dia 04 de Março analisadas e já no dia 05 dado início no bloqueio do local”, é o que relata Nádila Kotrich, agente de controle e combate a endemias.

Conforme Simone Huk Araszewski, coordenadora de endemias, a Vigilância Sanitária está trabalhando intensamente no combate à dengue no município. “Temos o objetivo de terminar o bloqueio até o final dessa semana, até o momento não encontramos mais nenhum foco, e o único que foi encontrado já foi eliminado. Já era esperado a chegada do Aedes Aegypti em nosso município pois o mesmo já chegou na maioria dos municípios vizinhos”, diz.

Local onde foi armazenado os pneus. (Foto:  Nádila Kotrich)

Local onde foi armazenado os pneus. (Foto:
Nádila Kotrich)

Nádila diz que em São Mateus do Sul foi encontrado apenas a larva e o mosquito transmissor da Dengue, mas não significa que este mosquito esteja contaminado pela doença. Simone também afirma que não há nenhuma evidência de circulação do vírus: “O que quer dizer que não temos a doença no município e se todos nós colaborarmos, podemos evitar futuros focos da dengue”, comenta.

O TRABALHO
De acordo com Nádila, está sendo realizado um bloqueio no lugar que foi encontrado as larvas do mosquito. “Com a ajuda de funcionários da secretária de obras retiramos e limpamos todos os pneus do local e os mesmos foram levados a um barracão com cobertura e após a retirada de todos estes depósitos foi realizado a aplicação do inseticida tanto no cemitério central quanto no pátio. Terminando este trabalho se dará início ao bloqueio nas residências que fazem parte de um raio de 300 m a partir do pátio do DER e Prefeitura. Nas residências será feito a vistoria e eliminação de todo depósito de água parada”, explica.

Local onde foi armazenado os pneus. (Foto: Nádila Kotrich)

Segundo informações de Simone, a Vigilância Sanitária do município está trabalhando no combate à dengue com cinco agentes de endemias e um coordenador, fora o apoio que recebem da secretaria de obras. “O combate à dengue é um trabalho rotineiro em nosso setor, até por isso conseguimos identificar rápido e estamos conseguindo conter o foco, e o bloqueio esperamos terminar até sexta-feira, dia 13. Todo trabalho que estamos desenvolvendo é o que preconiza o ministério da saúde, nós seguimos o manual de controle da dengue, e ressalto que todo o trabalho que é preconizado está sendo realizado”, conta.

CUIDADOS
Para Nádila, a prevenção é a única arma contra este mal, “a melhor forma de se evitar a dengue é combater os focos de acúmulo de água, locais propícios para a criação do mosquito transmissor da doença. Para isso, é importante não acumular água em latas, embalagens, copos plásticos, tampinhas de refrigerantes, pneus velhos, vasinhos de plantas, jarros de flores, garrafas, caixas d´água, tambores, latões, cisternas, sacos plásticos e lixeiras, entre outros”, finaliza.

A equipe da Vigilância Sanitária conta com a ajuda e o apoio de toda população pois com a ajuda de todos é possível eliminar este mal da cidade. Para tirar qualquer dúvida, o telefone da Vigilância Sanitária é (42) 3912-7078.

Por Thaís Siqueira / Gazeta Informativa

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Ação social leva 29 pessoas para doação sangue
Saúde alerta para casos de doença rara que pode estar associada à Covid-19
São Mateus do Sul vai receber Programa “Cuide-se +” do Sesi