Reflexão com Padre Marcelo S. de Lara

Viva São João!

banner_painel_decorativo_sao_joao_festa_juninaToda festa expressa alegria, traz um tom de conquista, de vitória, e até de esperança. O mês de junho carregado das festas juninas pode nos ajudar a pensar, em quê nos alegramos? e em quê esperamos?

O início das Festas Juninas se deu com os povos pagãos que à princípio neste período do mês de junho realizavam colheitas, e para comemorar faziam uma festa. No calendário dos Santos da Igreja Católica, a data desta comemoração, 24 de junho, se celebra o nascimento de João Batista, primo de Jesus.

João Batista era filho do sacerdote Zacarias e filho da prima de Maria, Mãe de Jesus, Isabel. Assim como Deus agiu em Maria, que ficou grávida por Ação Divina, por Obra do Espírito Santo, Isabel sua prima sendo considerada estéril e já de idade avançada, deu à luz a um menino que o chamou de João. João, primo de Jesus, nasceu seis meses antes de Jesus e foi chamado de Batista porque quando adulto batizava as pessoas. Convidava as pessoas a fazerem penitência, buscarem a Deus e se batizarem como sinal de purificação dos pecados.

Se a Festa Junina, depois de ter adquirido este tom religioso, lembrando a figura de São João Batista, e agregando ainda Santo Antônio e São Pedro e São Paulo, o papel de João Batista nos convida em muito a festejar sua vida desde seu nascimento até sua morte, pelo testemunho que deixou.

João Batista foi o último profeta do Antigo Testamento, e dá abertura ao Novo Testamento. Pregando um batismo de conversão, ele prepara as pessoas para a chega de Jesus, seu primo, o Filho de Deus. Certo dia, quando batizando no Rio Jordão, chegou também Jesus para ser batizado por ele. Jesus fez isto para dar exemplo às pessoas da necessidade da busca da purificação, da busca de Deus. Naquele dia, João Batista sai de cena, e à partir de agora pede que as pessoas sigam a Jesus e não mais a ele, porque Jesus é o Messias que chegou. “Eis o Cordeiro de Deus, Eis aquele que tira o pecado do mundo”, disse João apontando para Jesus. Depois, muitos discípulos de João seguiram a Jesus.

Além de motivar as pessoas para buscarem uma vida íntegra, buscarem a Deus, e a preparar os caminhos para a chegada de Jesus, João denunciava com veemência as injustiças. O rei Herodes naquela época era um grande admirador de João Batista, o respeitava muito. Mas quando João apontou o seu erro de adultério, a adulterina de Herodes pediu a cabeça de João Batista em uma bandeja, pedido que foi atendido pelo Rei. E decapitaram João Batista na prisão.

João Batista nasceu por uma intervenção divina, viveu conduzindo as pessoas para Deus; preparou as pessoas para a chegada de Jesus; saiu de cena dando lugar para o Filho de Deus; e morreu denunciando as injustiças, ainda que contra quem o admirava.

Vivamos com alegria as Festas Juninas festejando o testemunho que São João Batista. Que possamos imitá-lo, conduzindo pessoas para Deus e defendendo valores. “Viva João Batista, Viva o Precursor. Porque João Batista, anunciou o Salvador”, canta assim uma canção.

Últimos posts por Pe. Marcelo S. de Lara (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Bíblia: Deus nos fala
Ano Novo! Vida Nova?
A Identidade da Igreja