Reflexão com Padre Marcelo S. de Lara

Vocação: Uma Missão!

Imagem Ilustrativa

Imagem Ilustrativa

Nem todos têm vocação para ser político, para entrar na política. O mesmo se pode pensar de qualquer outra função a se fazer na vida ou na sociedade: vocação para se médico, ser lavrador, músico, jornalista ou mesmo a vida religiosa, e familiar.

A vocação é algo que não se pauta por interesses pessoais. Na verdade é muito mais uma opção tomada respondendo a um clamor do povo que brota em nosso coração para melhorar a vida de alguém.

Uma expressão diz assim: “Vocação acertada, futuro feliz!”. Melhoramos nossa vida e a vida dos outros quando fazemos aquilo que nos realiza, que responde àquilo pelo qual nos sentimos chamados à fazer de nossa vida.

Quando encontramos o nosso lugar no mundo, nossa missão, nos tornamos pessoas realizadas melhorando a vida do outro. Toda vocação verdadeira, encontrada, correspondida, aceita, está para servir ao outro. Servindo ao próximo por aquilo que nos realiza fazer, torna todo o conjunto melhor; o mundo melhora.

Por isso que, responder a vocação à qual você se sente chamado é mais do que pensar somente em si. A vocação nunca é para uma finalidade própria, mas sempre para o outro. Isto porém, não nega nossa felicidade, pois a sentiremos servindo ao outro na vocação correspondida.

Vocação é ter uma missão, é assumir um projeto de vida que de si se estende ao outro. Por isso, quando iniciei este artigo citando algumas vocações, é para se pensar que não se pode assumir qualquer vocação que seja, ou trabalho, sem que se pense no serviço ao outro em um primeiro momento.

Para se construir uma família, para exercer o trabalho na medicina, na política, no jornalismo, na arte, no vida religiosa entre outras, é preciso assumir isto como um projeto de vida para alguém, para transformar a realidade. Isto é Vocação.

Quando vemos pessoas assumindo cargos ou optando por caminhos buscando mais o seu interesse, a transformação do mundo que esperamos fica longe de acontecer. Deixamos aqui o questionamento se as pessoas que assumem funções ou caminhos que não corresponde a uma vocação legítima, estão no fundo se sentindo bem desvirtuando o sentido nobre que tem a função que ela está ocupando.

Se na escolha de uma vocação, ou um projeto de vida, acreditamos que se deve primeiro pensar em garantir a própria felicidade, estamos enganados.

A resposta à uma vocação se dá em pensar na extensão de felicidade que ela gerará ao outro, e por esta resposta, nos sentindo realizados no que fazemos para o outro, para o mundo, virá em recompensa a nossa felicidade.

Que você seja feliz gerando transformação no mundo, na vida de outras pessoas; gerando felicidade nelas, respondendo assim à vocação à qual você foi chamado. Um novo ano que se aproxima é oportunidade ótima para você pensar em uma nova vida.

Últimos posts por Pe. Marcelo S. de Lara (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Política é Serviço, e não, disputa de poder
Deus no lugar certo
Bíblia: Deus nos fala