Histórias de Terra e Céu

Você quer ganhar um telescópio? Venha para a “noite sem dia”!

Imagem Ilustrativa

Imagem Ilustrativa

Confesso que gosto muito mais de livros e de noites estreladas do que de filmes na televisão e em cinemas, mas tenho vários amigos que são viciados em cinema e descobrem uma cultura riquíssima nesta paixão. Agora, o fato do cinema não ser a minha paixão, não significa que eu já não tenha me apaixonado por um filme… E era exatamente um filme que falava de “um dia sem noite e uma noite sem dia”.

O Feitiço de Áquila é um filme de 1985, com Matthew Broderick, Rutger Hauer e a belíssima Michelle Pfeiffer (no papel de Isabeu d’Anjou, de onde minha filha “herdou” o nome Isabelle). Não vou contar a história aqui, mas o desfecho do filme se daria com um encontro amoroso que só poderia ocorrer em “um dia sem noite e em uma noite sem dia”, que acabou sendo um eclipse do Sol (se você não viu este filme, assista, e se você já viu, faça como eu: assista mil vezes!).

Mas vamos ao tema de hoje: muitos dos que leem esta coluna compartilham do meu “amor” pelas estrelas, e guardam um desejo (às vezes secreto) de ter um telescópio ou uma luneta, que possa lhe “aproximar” deste amor. Bom, se você é um destes, a sua chance será em “uma noite sem dia”, que não será um eclipse solar (como o do filme) e sim um eclipse lunar.

Na noite do dia 27 de setembro ocorrerá o próximo eclipse lunar. Sei que ainda teremos dois meses pela frente, mas o amigo Nizaor Júnior me deu uma excelente dica: o site “Climatologia Geográfica”, em sua página no Facebook, criou um evento convidando a todos para “participar virtualmente” do eclipse, que eles transmitirão ao vivo e ainda sortearão o telescópio refrator da foto (e vários outros prêmios) para quem acompanhar a transmissão.

É claro que, se o nosso céu estiver limpo, o melhor será deixar de lado o “virtual” e curtir a lua real. Às 21h12 começará a fase penumbral do eclipse, na qual o brilho dela diminuirá, mas ainda não chegará a haver a ocultação. Às 22h07 começará a ocultação, que atingirá seu máximo quando a lua estiver quase no topo do céu, perto da meia noite. Neste momento é que poderá ser vista a “lua de sangue”, quando nosso satélite fica avermelhado devido aos raios solares que passam pela atmosfera da Terra antes de atingir a lua.

Alguns místicos afirmam que este será um momento especial, pois completa-se a tétrade (quatro eclipses lunares seguidos no espaço de pouco mais de um ano), o que só se repetirá em 2032 e 2033. Eu não creio nestas visões astrológicas, portanto não espere que o mundo vá acabar quando a lua ficar vermelha, ou que a Michele Pfeiffer vá se materializar ao seu lado. O máximo que pode ocorrer, se você der um pouco de sorte, é ganhar o telescópio que será sorteado.

Até a próxima semana e céus limpos para todos nós!

Gerson Cesar Souza
Últimos posts por Gerson Cesar Souza (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
A Revolução, o poeta, o delegado e o Hino
O Gênio de Gdansk e suas provas de fogo
Mês Polonês parte 2: O Astrônomo da Água Branca